Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Escolas públicas municipais de Parauapebas serão reestruturadas no padrão do MEC

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Com o objetivo de colaborar para melhoria da qualidade de ensino na rede pública municipal, a Prefeitura de Parauapebas vai reformar as escolas públicas que funcionam em prédios próprios, adequando-as ao padrão estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC), iniciando por 22 escolas, cujas reformas foram objetos de licitação realizada nesta quinta-feira (25).

De acordo com o coordenador de educação da Secretaria Municipal de Obras (Semob), engenheiro civil André Luiz Villar, as escolas receberão reforma completa constituída pela revisão do telhado, implantação de piso de alta resistência, sistema de tratamento de esgoto, instalações hidro sanitárias, adaptação para acessibilidade, ajuste para cozinha industrial, colocação de grama, poço artesiano, entre outros serviços.


O tempo previsto para realização das reformas é de aproximadamente seis meses, coincidindo com o período letivo. Por esse motivo, a Semob, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), estuda as melhores estratégias para realizar o serviço sem comprometer o andamento das aulas e o bem-estar dos alunos.

João Miranda é um dos empresários cuja empresa concorre no processo licitatório para reformas de escolas, realizado nesta quinta-feira. “Estamos com uma boa expectativa e caso a gente consiga ser contemplado nesse processo queremos realizar serviço de qualidade para a população”, afirma o empresário.

As escolas de ensino fundamental que vão receber reformas nesse primeiro momento são: Primavera, Paulo Fonteles, Jozias Leão, Terezinha de Jesus, Sandra Maria, Faruk Salmen, Carlos Henrique, Antônio Matos Filho, Machado de Assis, João Prudêncio de Brito, Chico Mendes, Cecília Meireles, Paulo Freire, Crescendo na Prática e Antônio Vilhena, totalizando 15 escolas.

Sete escolas de ensino infantil serão também reformadas, que são: Turma da Mônica, Vovó Ana, Gente Inocente, Moranguinho, Criança Esperança, Comecinho de Vida e Ruth Rocha, totalizando um investimento em mais de R$ 20 milhões na reestruturação de todas as escolas.

André Villar adianta ainda que o processo licitatório para reforma de mais nove escolas já está aguardando o parecer da Procuradoria Geral do Município (PGM) e em breve deverá ser iniciado.

Reportagem: Karine Gomes / Foto: irisvelton Silva

Publicidade

Veja
Também