Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

EXPORTAÇÕES: Pará assume 5º lugar na comercialização de commodities

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem) levantou, em primeira mão, o resultado da balança comercial de janeiro, mês encerrado na última quarta-feira. Ontem, quinta-feira (1º), no final da tarde, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) divulgou dados globais da balança, mas ainda não soltou os números estaduais, que estão sendo processados para serem disponibilizados na plataforma Comex Vis.

O Pará, que fechou 2017 como o 7º maior exportador de commodities, avançou duas posições em janeiro. Nos 31 dias do mês passado, foi transacionado 1,21 bilhão de dólares, bem mais que o 1,07 bilhão de dólares do Paraná e os 890,28 milhões de dólares do Mato Grosso, estes os quais estiveram à frente do Pará ao longo do ano passado.


O mês encerrado há dois dias foi o melhor janeiro da história de exportações do Pará nos últimos quatro anos. A título de comparação, em janeiro de 2017 o Pará exportou 1,14 bilhão de dólares (aproximadamente 70 milhões de dólares a menos) mesma diferença do auge do “boom” das commodities minerais, em 2011. As maiores estrelas da cesta paraense de exportações são as commodities minerais, com destaque para os minérios de ferro (produzido nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Curionópolis) e cobre (produzido em Marabá, Canaã dos Carajás e Curionópolis).
As importações paraenses totalizaram 143,98 milhões de dólares, conferindo superávit comercial ao estado de 1,06 bilhão. Já o Brasil, no primeiro mês deste ano, exportou 16,97 bilhões de dólares em commodities e importou 14,2 bilhões, com superávit de 2,77 bilhões de dólares.

Nas próximas horas, a Assopem vai apresentar detalhes da balança comercial dos municípios paraenses. Você, seguidor, vai saber com exclusividade os números das exportações de recursos minerais do estado.

Fonte: Assopem

Publicidade

Veja
Também