Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

“Faltaram votos”, diz vereador Maridé sobre derrota nas urnas em 2020

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Sem matérias na ordem do dia, a pauta da primeira sessão ordinária da Câmara Municipal de Parauapebas, realizada após as eleições, foi o resultado das urnas.

Dos atuais 15 vereadores, 13 foram candidatos e seis foram reeleitos. A próxima legislatura, que continuará com o mesmo número de parlamentares, terá ainda sete novatos e dois que já passaram pela Casa.


Vereadores eleitos para a legislatura 2021-2024

Ivanaldo Braz (PDT) – 3.988 votos (reeleito);

Eliene Soares (MDB) – 2.990 votos (reeleita);

Luiz Castilho (Pros) – 2.612 votos (reeleito);

Zé do Bode – Elvis Cruz (MDB) – 2.437 votos;

Léo Márcio (Pros) – 2.264 votos;

Rafael Ribeiro (MDB) – 2.223 votos (suplente de Coutinho na legislatura atual);

Elias da Construforte (PSB) – 2.157 votos (reeleito);

Joel do Sindicato (PDT) – 2.024 votos (reeleito);

Zacarias Marques (PP) – 1.898 votos (reeleito);

Francisco Eloécio (Republicanos) – 1.544 votos;

Aurélio Goiano (PSD) – 1.508 votos;

Josivaldo da Farmácia (PP) – 1.437 votos;

Israel Miquinha (PT) – 1.395 votos (vereador em 2009/2012 e 2013/2016);

Josemir Silva (Pros) – 1.259 votos;

Leandro do Chiquito (Pros) – 1.213 votos;

Parte dos candidatos eleitos esteve na Câmara na manhã desta terça-feira (17) e acompanhou a sessão.

Discursos

Os vereadores utilizaram a tribuna para fazer um balanço da campanha e aproveitaram para agradecer ao apoio da família, das equipes de trabalho, dos partidos e os votos recebidos.

O prefeito reeleito, Darci Lermen, também foi bastante citado nos agradecimentos, pois todos os vereadores reeleitos faziam parte de sua coligação.

O primeiro a falar foi Maridé Gomes (PSC), vereador que está no seu segundo mandato na Casa, mas não foi reeleito. “Trabalhei, não fui omisso, mas não caí nas graças do povo em 2020, e o povo escolheu outros representantes. Saio de cabeça erguida, com a consciência do dever cumprido. Tudo que eu podia fazer, eu fiz; o que não fiz foi porque ultrapassava minhas limitações. O mais importante é saber que estou em paz com minha consciência e que Deus aprovou meu comportamento, sempre pacífico e a serviço do bem. Me perguntaram o que faltou para eu ser reeleito, respondi que certamente faltaram votos”.

Na sequência, João do Feijão (PSB), que não foi candidato à reeleição, avaliou como positivo seu mandato e a relação com os colegas de parlamento. “Nestes quatro anos tivemos um mandato sem brigas, sem confusão, com união. Obrigado a todos os vereadores e parceiros. Foi um mandato de bênçãos. Quero pedir aos vereadores novos que continuem tranquilos, sem brigas”.

Francisca Ciza (PP) não foi reeleita, mas avaliou seu desempenho como vitorioso. “Não me sinto derrotada. Sinto-me vitoriosa, porque as pessoas confiaram em mim, no trabalho que fiz na Câmara. Sempre me sinto vitoriosa. A vida é assim: uma hora você sobe, outra você desce. Isso foi só mais uma fase. Vou continuar na luta, porque acredito muito na nossa cidade. Estou de cabeça erguida e vou continuar na luta”.

Para Joel do Sindicato (PDT), o resultado das urnas foi positivo para sua candidatura e o grupo do qual faz parte. “Nosso partido saiu fortalecido desta eleição e vamos trabalhar para dar a resposta à altura que o povo merece e tanto precisa. Dedico esta vitória aos meus dois irmãos que eu perdi neste mandato e ao meu filho. É difícil, mas o livro de Romanos nos diz: ‘Todas as coisas contribuem para o bem daquele que ama a Deus segundo seu propósito’. É dolorido, mas respeito a decisão dele. Deus é perfeito; é maior e pode tudo. A Deus eu dedico esta vitória, aos meus dois irmãos, ao meu pai, que também perdi, e ao meu filho Joel Pedro Alves Júnior”.

Em seguida, foi a vez de Ivanaldo Braz (PDT), reeleito para o terceiro mandato, sendo o mais votado nesta eleição com 3.988 votos. O parlamentar atribuiu a vitória ao trabalho e à equipe de colaboradores. “Quero dizer à população de Parauapebas que espere o melhor mandato possível, com mais experiência, com dever maior pela quantidade de votos. Pode ter certeza que estaremos nos quatro cantos da cidade. Temos muito para fazer pela cidade, começando pelo saneamento básico. Precisamos trazer mais creches e também o tão sonhado polo universitário. Temos que ter propostas e fazer com que elas sejam consolidadas. É isso que a sociedade espera de nós. O que depender de mim para manter a harmonia, eu farei”.

Logo depois, foi a vez do vereador Elias da Construforte (PSB). “Parauapebas tem evoluído e o processo eleitoral tem sido cada vez melhor. Quero parabenizar o prefeito Darci, que está indo para o seu quarto mandato, e os colegas eleitos. Quero parabenizar também os colegas que não tiveram êxito, mas fizeram uma boa campanha e deixaram um legado positivo para a história de Parauapebas. Vocês estavam conosco na briga para conquistar nosso ICMS, na briga para garantir o polo da Uepa, e também na luta por uma Cfem mais justa. Quero agradecer os votos e dizer que este mandato é nosso. Aos 2.157 eleitores que me honraram, saibam que continuarei trabalhando de forma incansável, cada vez mais e melhor”.

Na sequência, Zacarias Marques (PP) ressaltou a importância da parceria entre Câmara e prefeitura durante o atual mandato para o desenvolvimento da cidade e enfatizou a necessidade de continuar com o trabalho conjunto e harmônico. “A gente tem a esperança e a oportunidade a partir do dia primeiro de janeiro de 2021 de procurar dar o nosso melhor, com equilíbrio, serenidade, comprometimento e entrega. Nossa missão não é defender apenas os votos que recebemos, mas a responsabilidade que o município derrama sobre nossos ombros. Tenham certeza que estamos aqui mais preparados e com mais condições de enfrentar todos os desafios que vêm pela frente”.

A única mulher eleita para a próxima legislatura, Eliene Soares (MDB), discursou em seguida. A vereadora, que exercerá o terceiro mandato na Câmara de Parauapebas, avaliou como produtivo o trabalho que ela tem feito no Legislativo e se comprometeu em lutar pelas minorias. “Prometo, com todas as minhas forças, que irei lutar pela promoção de políticas públicas capazes de alcançar a todos, políticas de inclusão social, de reparação, de igualdade de gênero, pela oferta de serviços básicos, garantia de direitos e justiça social e de acesso à cidadania. Estes 2.990 votos aumentam minha responsabilidade de lutar por todos. A partir de 2021 serei a única voz feminina neste parlamento, razão pela qual me sinto na obrigação de trabalhar em prol de mais políticas de valorização à mulher”.

Horácio Martins (PDT) não conseguiu a reeleição, mas avaliou como positivo o desempenho do seu partido, que elegeu dois vereadores, Joel e Braz, e ainda o vice-prefeito João do Verdurão. “Eu como vereador não pensei só em mim, pensei em crescer o partido. Joel e Braz, vocês vão ser um esteio para fortalecer nosso partido, não vamos parar, vamos continuar nossos trabalhos sociais. Uma política começa quando a outra termina, nosso partido sempre estará presente para a população, para aqueles menos favorecidos”.

Por fim, encerrando os discursos, o presidente da Câmara, Luiz Castilho (Pros), também destacou o desempenho do seu partido nas urnas, que elegeu quatro vereadores e terá a maior bancada na próxima legislatura. “O nosso partido se juntou, se organizou, se programou e executou para ser o maior partido político da história de Parauapebas. Tivemos de forma recorde 21.250 votos, nos tornando o maior partido político na urna. Somos o maior, porque fomos conduzidos por uma pessoa que pensa grande, que é o João Vicente, o Branco, nosso presidente. Sermos grandes nos dá uma responsabilidade muito grande também. Grandes desafios são dados para grandes pessoas e o nosso grupo é grande, por isso aceitamos o desafio de, em 2022, entregar para nossa querida Parauapebas um deputado estadual e um deputado federal”.

Os trabalhos continuam normalmente na Câmara Municipal de Parauapebas, com sessões ordinárias todas as terças-feiras.

Os eleitos tomarão posse no dia 1º de janeiro de 2021 e iniciarão os trabalhos em 15 de fevereiro.

 

Publicidade

Veja
Também