Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Forças de segurança dão trégua em conflito agrário no sudeste do Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Depois de vários dias em eminente conflito, cuja motivação era a posse agrária, a saber, a Fazenda Fazendinha, situada no sudeste do Pará, entre as cidades de Parauapebas e Curionópolis, uma trégua foi posta entre as partes; o que só foi possível com a esperada intervenção das Forças de Segurança do Estado do Pará.

A missão foi cumprida pelas polícias Militar, Rodoviária Estadual, e Civil do Pará; e já que a havia denúncia de lesões ao patrimônio, o Instituto Renato Chaves (IML) também participou para fazer a perícia técnica e apurar a denúncia. Porém, o ponto principal da missão foi cumprir acordo firmado entre os representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Sindicato dos Produtores Rurais de Parauapebas (Siproduz) e o dono da Fazenda, Darlan Lopes Gonçalves.


Apesar da resistência dos militantes do MST em deixar a sede da fazenda e retornar ao acampamento que existe próximo dali, há seis anos, tudo terminou bem; sendo a fazenda desocupada e devolvida ao dono, na presença do ouvidor agrário, Wellington Bezerra Silva, conforme exigência dos cerca de 100 ocupantes que retornaram ao Acampamento Frei Henri.

Sobre a ação

O ouvidor agrário munido do ofício do delegado da Polícia Federal Ualame Fialho Machado, fez saber aos ocupantes da sede da Fazenda Fazendinha que a ordem de reintegração de posse da área ao Incra, emitida pela Justiça Federal, ainda não havia sido cumprida em virtude dos últimos acontecimentos.

Outro ponto do documento dava conta de que, o requerido na ação, Darlan Lopes Gonçalves, recorreu da ordem, o que se faz necessário que tramite naquela instância.

Assim a decisão pelo cumprimento da ordem judicial foi adiada, enquanto se avalia a proposta de permuta entre áreas, dando uma em outro lugar ao do conflito. Assunto que não foi bem recebido pelos militantes do MST, mas ficou de ser discutida internamente e depois debatida em reunião que ocorrerá na terça-feira, 27, no Incra em Marabá.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também