Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Gasolina do Pará está entre as 9 mais caras do Brasil

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foto: Reprodução | Internet

O preço médio da gasolina comercializada em postos de combustíveis do Pará sofreu queda de 2,38% em fevereiro deste ano. Mas, segundo um levantamento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio Econômicos no Pará (Dieese-PA), com base em dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o produto fechou o mês como o terceiro mais caro do Norte e o nono mais salgado do País.

O mais alto valor cobrado pelo litro de gasolina, em fevereiro passado, foi o comercializado no Rio de Janeiro, onde o produto custou, em média, R$ 4,707, seguido do Acre, com a média de R$ 4,686; Minas Gerais, custando R$ 4,509; Bahia, comercializado a R$ 4,433; Mato Grosso, ao preço de R$ 4,392; Tocantins, vendido a R$ 4,392; Goiás, cobrado a R$ 4,363; Alagoas, no valor de R$ 4,343; em seguida vem o Pará, com a média de R$ 4,339 e Rondônia, onde o produto custou R$ 4,323.


BELÉM

Em janeiro passado, em todo o Pará, o litro da gasolina foi comercializado, em média, a R$ 4,445 com o menor preço a R$ 3,880 e o maior a R$ 5,189. No mês seguinte, houve uma queda e o combustível foi vendido, em média, a R$ 4,339, com o menor preço, em média, R$ 3,879 e o maior R$ 5,260. Na capital, o litro do produto foi comercializado, em média, a R$ 4,132, com variação entre R$ 3,940 a R$ 4,399.

O estudo mostrou ainda que, entre os municípios paraenses, Abaetetuba foi o que comercializou o combustível mais caro no mês passado, R$ 4,907, seguido de Parauapebas, que comercializou a R$ 4,844; depois veio Xinguara com o preço médio de R$ 4,760; Altamira custando R$ 4,759; Conceição do Araguaia, onde produto foi vendido a R$ 4,723 e, por fim, Marabá, que vendeu a R$ 4,704.

Publicidade

Veja
Também