Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Hospital Regional de Marabá realiza campanha de doação de sangue até o dia 24

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na última terça-feira (21), Cláudia Ferreira, de 37 anos, decidiu enfrentar o medo por uma boa causa. Deixou o nervosismo de lado e doou sangue pela primeira vez. Ela foi encorajada em uma reunião de acompanhantes promovida pelo Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, onde o marido está internado desde o início do mês. Então, aproveitando que a unidade está realizando a 28ª Campanha de Doação Voluntária de Sangue, ela finalmente se tornou uma doadora e já faz planos de participar das próximas campanhas.

“Desde menina eu ouvia falar que doar sangue salva vidas. Mas onde eu morava não havia coleta, era no interior de Xinguara, na roça. Quando cheguei ao hospital vi no livrinho que eles dão para a gente que é para doar no Hemopa, mas eu não sei andar aqui em Marabá. Daí quando a moça do SAU [Serviço de Atendimento ao Usuário] foi à enfermaria para falar que teria a campanha, eu vim ligeira”, conta a pedagoga.


Quem também doou pela primeira vez foi a estudante Sarah Duarte da Silva, de 17 anos. Ela estava acompanhada da mãe, a técnica de enfermagem Joelma, que é doadora há anos. “Vi várias matérias esses dias sobre o baixo estoque de sangue em todo o Brasil e aí convidei minha filha para virmos hoje. Sou da área da saúde e já vi muitos pacientes precisando de doação”, comenta Joelma.

Segundo o Ministério da Saúde, menos de 2% da população brasileira entre 16 e 69 anos doa sangue. Para a Organização das Nações Unidas (ONU), o índice ideal é de 3% a 5%, que é o caso dos Estados Unidos e do Japão.

Para estimular o aumento do número de doadores que contribuem para a reposição do banco de sangue da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará – Hemopa Marabá, o Hospital Regional está mobilizando empresas, universidades e associações para participarem da campanha da unidade, cujo tema é Quando você doa sangue, a vida continua. A ação começou no dia 20 e segue até a próxima sexta-feira (24). Simples, rápida e indolor, a coleta é feita no Hemopa, no núcleo da Cidade Nova. A meta é alcançar, pelo menos, 120 doações durante toda a campanha.

Em 2015 somente o HRSP recebeu mais de duas mil bolsas de sangue coletadas pelo Hemopa Marabá. A demanda é alta porque a unidade é referência em traumato-ortopedia de média e de alta complexidade e muitos dos pacientes atendidos são submetidos a cirurgias, nas quais pode ocorrer perda sanguínea em grande volume.

Para ser um doador é preciso estar bem de saúde e alimentado no dia, ter idade entre 16 e 69 anos, pesar pelo menos 50 quilos e apresentar um documento oficial com foto, como carteira de identidade e habilitação de motorista. Doadores com menos de 18 anos devem apresentar autorização dos pais ou dos responsáveis legais.

Mobilização

Empresas como a Vale se solidarizaram com a campanha e liberaram funcionários para participarem da ação no Hospital Regional. O líder sênior do projeto de Expansão da Ferrovia Carajás (EFC), Rodrigo Coji, comenta sobre a mobilização dos voluntários. “O interessante é que um doador pode ajudar quatro pessoas. E não são simplesmente quatro pessoas, são quatro famílias. O número de funcionários que reunimos hoje para a campanha encheu um ônibus. Com isso estamos ajudando praticamente 200 famílias nessa pequena ação de um dia”, argumenta o voluntário.

A campanha também ganhou a adesão de pessoas que, não podendo doar, incentivaram amigos e vizinhos a se envolver com a causa, a exemplo do motorista Valdek de Andrade, internado no Hospital Regional após sofrer um acidente de trânsito. Ele e a amiga Eliene encaminharam mais de 15 pessoas para a coleta no Hemopa, sendo que duas delas se deslocaram de Parauapebas até Marabá somente para fazer a doação.

“Eu fiquei feliz de poder ajudar assim. Hoje não posso doar porque estou em recuperação, mas sei o quanto é necessária a doação, pois eu tenho sangue alheio na veia. Então quero fazer a mesma coisa depois que me recuperar”, afirma Valdek, que durante a internação precisou de transfusão de sangue.

Outra ação realizada pelo Hospital Regional de Marabá para conscientizar a população sobre a importância da doação de sangue é a adesão ao Junho Vermelho, campanha nacional impulsionada pelo movimento Eu Dou Sangue pelo Brasil, criado em 2014. A mobilização inclui a iluminação da fachada da unidade na cor vermelha até o final deste mês.

Reportagem: Aretha Fernandes

Publicidade

Veja
Também