Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Idosos, deficientes! Quem se importa? | Por: Alípio Ribeiro

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Vamos começar pelo artigo Art. 181, inciso XX, do Código de Trânsito Brasileiro que diz: “Estacionar o veículo: XX – nas vagas reservadas às pessoas com deficiência ou idosos, sem credencial que comprove tal condição: Infração – gravíssima; Penalidade – multa; Medida administrativa – remoção do veículo.”

Infelizmente, Parauapebas é um balneário de infratores que nadam no lago da impunidade. Alguns motoristas debocham do sistema, sorriem da fraqueza e dependência dos outros. Quem ainda não viu nos estacionamentos dos shoppings (principalmente o Karajás) vários carros sem as credenciais, estacionados nas vagas reservadas a idosos e cadeirantes? Fato que se repete nos estacionamentos dos grandes supermercados da cidade?


Cansei de ver agentes do DMTT discutindo com os bandidos infratores que procuram levar vantagem, usando como justificativa o fato de a cidade não possuir vagas suficientes para carros nos estacionamentos. No estacionamento da prefeitura, repleta de agentes públicos, os infratores têm a certeza da impunidade. Vários, que deveriam dar o exemplo e serem os primeiros a denunciar a infração, as cometem, sem qualquer pudor ou receio. Outro dia o DMTT rebocou alguns carros do pátio da prefeitura. Mas, poucas horas depois, outros infratores apareceram. Os vigias avisam, orientam, mas os idiotas não dão ouvidos. Os vigias se sentem impotentes.

Há que se rigor na fiscalização. Punição já! Os valores das multas devem ser investidos em prol dos que foram lesados em seus direitos.

Mas o caos não está presente apenas nestas infrações. A quantidade de pessoas sem noção que dirigem motos, sem capacetes, transportando crianças desprotegidas, cargas incompatíveis com os veículos, é enorme.

Em Parauapebas, na rua 13, é contramão sair da rua A para a PA 160. Mas, e daí? Os infratores ignoram a proibição. Numa loja de bebidas na esquina da rua B com rua 11, no bairro Cidade Nova, os motoristas estacionam na contramão, na esquina, no meio da rua. E não se importam com o transtorno que provocam. À noite, é comum o tráfego de veículos na contramão na rua A. Nos bairros periféricos, então? Não existe lei nem bom senso! Existe o caos!

Quem ainda não passou raiva dirigindo atrás de veículos conduzidos por motoristas ao celular? Eles dirigem devagar, em zigue-zague. E, se alguém buzina, fingem que não é com eles.

Importante frisar aqui, que não basta ser idoso ou cadeirante para usar a vaga especial. É preciso obter a credencial no DMTT e coloca-la em local visível dentro do veículo!

Urge que se crie um “disque-denúncia” no DMTT para informar sobre as infrações. Urge que seja feita uma fiscalização constante nos estacionamentos da cidade no intuito de proteger o cidadão que cumpre a Lei. Acima de tudo, urge que o motorista tenha respeito às leis, aos idosos, aos deficientes e a eles mesmos!

Motorista: a infração cometida hoje, pode ser cometida contra você amanhã. Tenha consciência. Tenha respeito.

 

Publicidade

Veja
Também