Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Inflação deste período é a maior nos últimos 17 anos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Marco Antônio – Economista

A alta do dólar e o aumento na importação dos grãos influencia no preço interno

Nos últimos tempos, a cada ida ao supermercado a população fica espantada com os valores dos produtos, principalmente os da cesta básica, e muitos se perguntam porque isso está acontecendo?


Segundo o economista Marco Antônio, que mora em Parauapebas há mais de sete anos, são vários fatores que estão influenciando nos preços dos produtos.
“O principal motor das altas dos preços é a diferença entre a oferta e a demanda das mercadorias, pois quando a oferta é baixa e a demanda é alta, os preços tendem a subir”, explica o economista, desenhando em um papel a lei elaborada por Adam Smith ainda na economia clássica.

O IBGE divulgou nesta semana que a inflação de setembro ficou em 0,64%, a maior taxa para o mês desde 2003 e isso também influencia no preço final dos produtos nas prateleiras dos supermercados.

Não é de hoje que uma velha técnica é fundamental, desde o início do capitalismo, e a dona Gisele Bezerra garante que ela sempre utiliza esta técnica antes de sair às compras.
“Faço a lista de tudo que necessito comprar, ai vou em uns três supermercados e alguns mercadinhos no bairro e faço um levantamento dos preços, para ai sim fazer as compras, as vezes compro em um só lugar pois acaba compensando, e outras vezes compro um pouco aqui, outro pouco ali, pois o dinheiro não está fácil ultimamente”, explica a dona de casa.

Gisele Bezerra

 

Marco Antônio finaliza a entrevista para o Portal Pebinha de Açúcar explicando que também existem outros fatores fundamentais nos preços dos produtos do mercado interno.
“O dólar é um grande vilão, pois está tendo uma alta considerável nos últimos tempos devido à crise econômica provocado pela pandemia, e a alta nas exportações de alimentos do Brasil, causada em especial pelo aumento da compra de grãos no mundo, provocou um crescimento no consumo dentro do país”, relata o economista, que acredita que logo a balança vai se estabilizar e os preços vão voltar ao patamar de antes.

 

Publicidade

Veja
Também