Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Juiz Líbio Moura recebe o título de cidadão honorário na Câmara de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Câmara Municipal de Vereadores de Parauapebas realizou nesta terça-feira (6), antes de iniciar a sessão ordinária, a cerimônia de entrega do título de Cidadão Honorário ao juiz de direito Líbio Araújo Moura. A honraria foi entregue pelo vereador Miquinha (PT), responsável pela proposição aprovada pelos vereadores em plenário, que concedeu a homenagem ao juiz.

Em pronunciamento, Líbio Moura disse que recebe o título como um prêmio por seu trabalho realizado no município. “Eu fiquei muito lisonjeado pelo reconhecimento que a cidade fez e não é normal isso acontecer, mas me fortalece para novas missões que eu tenho. Em outras comarcas a gente começa do zero”, disse.


Todos os vereadores se pronunciaram parabenizando o homenageado, alguns citaram, inclusive, ocasiões onde foram afastados pelo juiz, como a vereadora Luzinete Rosa Batista (PV). A parlamentar, assim como outros cinco vereadores foram afastados após a Operação Filisteus, realizada em 2015, pelo Ministério Público Estadual (MPPA), onde o juiz Líbio Moura foi o magistrado quem aceitou o pedido de afastamento dos parlamentares.

Líbio Moura entrou para a magistratura em 2004, aos 25 anos de idade, atuou em vários municípios no Sul e Sudeste do Pará. Em Parauapebas estava desde o ano de 2010, foi juiz eleitoral entre os anos 2012 e 2014. Recentemente, respondia pela 1° Vara Criminal do município.

O juiz atuou em outros casos de grande repercussão, como a Operação Teia de Penélope, desencadeada pelo Ministério Público e aceitou o pedido de afastamento do vereador Maridé Gomes (PSC).

Líbio também atuou nos pedidos de prisão da advogada Betania Maria Amorim Viveiros e de três policiais militares acusados pelo Ministério Público de envolvimento na morte do advogado Décio Cunha, em 2013. Gravações teriam revelado ameaças ao magistrado.

Em 19 de outubro, o juiz foi removido para a 2° Vara Criminal da comarca de Castanhal, município localizado na região metropolitana de Belém.

Reportagem: Jéssica Diniz / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também