Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

LED: Com investimento de R$ 100 milhões, Parauapebas ganhará novo sistema de iluminação pública

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Um parque de iluminação pública que se encontra em uma situação muito precária”. Palavras do engenheiro civil Edmar Cruz Lima, secretário municipal de Urbanismo de Parauapebas, pasta responsável pela implantação e manutenção da iluminação pública no município.

A situação caótica no sistema de iluminação pública é facilmente comprovada por qualquer um que sai ás ruas de Parauapebas no período noturno, podendo encontrar ruas inteiras às escuras, além de diversos postes, em outras, com lâmpadas queimadas.


Para dirimir a situação e se sentir mais seguros, muitos moradores instalam refletores para clarear as proximidades do portão de suas respectivas residências, porém, a conta de energia vem e em dobro, pois mesmo não tendo a iluminação pública, ela é cobrada e a iluminação opcional (refletor) passa pelo medidor do padrão e contribui para a diferença na fatura.

Os problemas, conforme disse Edmar Lima à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, não é novo, mas já encontrado desde que iniciou sua gestão em 1º de janeiro de 2017. “Temos hoje um sistema de manutenção um tanto ultrapassada”, reconhece Edmar, dando conta de que foi feito o diagnóstico pela SEMURB e já se sabe a real situação do sistema de iluminação pública, chegando à conclusão que a solução é a substituição de todas as luminárias por outras de led, uma tecnologia mais moderna.

O diagnóstico, conforme mensurado por Edmar, foi encerrado em agosto de 2017, quando logo se fez a abertura do processo licitatório para a aquisição do material necessário e da contratação de empresa para a execução do serviço para a mudança no parque de iluminação pública. A habilitação com abertura do envelope se deu no dia 20 de dezembro de 2017, quando o material entrou em análise técnica, estando agora na fase recursal, que tão logo concluída, será feita a formalização do contrato para que se possa iniciar procedimento de substituição das atuais luminárias a vapor de sódio e de mercúrio por modernas, que são de led. “Aí sim, começaremos a ter um parque de iluminação eficiente em nosso município”, planeja Edmar.

As avenidas, entre elas, Havana (bairro Vila Rica); e dos Ipês (bairro Cidade Jardim); Rodovia PA-160; além de muitas outras que estão totalmente às escuras, somando pelo menos 25 quilômetros, Edmar explicou tratar-se de furto dos cabos que, por serem de cobre, material de fácil comercialização e bom valor no mercado, foram furtados. O material é facilmente acessado, por ser subterrâneos, solução que ele diz vir com a ancoragem dos novos que serão colocados, dificultando assim, suas retiradas; e grande parte serão substituídas por cabos de alumínio, material de valor não atrativo no mercado. Este serviço já deve ser iniciado ainda este mês, pois o contrato e ordem de serviço já foram emitidos.

Novo sistema de iluminação pública

Todo o parque de iluminação pública será substituído, ou seja, 33.700 lâmpadas de led tornarão claras as ruas de Parauapebas; um investimento estimado em R$ 100 milhões.

O ganho, segundo Edmar Lima, está na eficientização do sistema, além da economia, tanto na substituição, já que as lâmpadas de led têm uma vida útil de pelo menos 12 anos, quanto no consumo de energia, que chega a 60%.
Perguntado se a economia será repassada para o consumidor, ele explica que hoje, a arrecadação é deficitária; ou seja, se arrecada cerca de R$ 1 mi e paga-se para a concessionária de energia elétrica cerca de R$ 1,2 milhões, acumulando assim por mês um déficit de pelo menos R$ 200 mil. Com a eficientização do sistema, a conta deverá cair para R$ 500 mil, o que dará ao município um superávit de pelo menos R$ 500 mil.

Já prevendo estas mudanças, o município de Parauapebas já criou a legislação com o Fundo específico para Iluminação Pública e é nele que será depositado o superávit, podendo ser usando único e exclusivamente para este fim, podendo ser aplicado em ampliação da rede de iluminação pública e modernização do sistema. “Após a conclusão da modernização do sistema com as substituições de todas as luminárias, este superávit passará a ser lucro, o que me dá o direito, já que a lei não me permite utilizá-lo para outros fins, posso fazer uma reavaliação da taxa de iluminação pública e retribuir o contribuinte com a baixa na contribuição da iluminação pública”, explica Edmar.

Modelo de iluminação pública que foi implantado em grande parte de São Luís (MA), será implantado em Parauapebas

Modernidade

Outro avanço a ser implantado com o novo parque de iluminação pública em Parauapebas, conforme anunciado por Edmar Lima, é o georreferenciamento do sistema que cadastrará cada poste, podendo ser conferido e administrado da base de telegestão gerido através de aplicativo; além de que, o novo modelo de luminárias a ser instalado é conjugado, não tendo as quatro peças, como as antigas que atualmente são utilizadas.

A modernização de todo o parque, conforme mensurado por Edmar, demora cerca de 12 meses, o que demandará pelo menos 6 caminhões com equipes distintas. Na previsão do secretário de Urbanismo, o valor gasto na modernização deverá ser diluído na economia em apenas cinco anos.

Perguntado a respeito de vias como, por exemplo, a VS-10, que não possui o serviço de iluminação pública, ele garante que estão no projeto e deverão ser alcançadas com iluminação moderna como todas as outras, mesmo nos bairros mais periféricos. “Temos recebidos críticas, muitas construtivas; e sentimos no dever de dar esta resposta à comunidade, reconhecendo que a população tem este direito. Nunca me abstive de informar tanto a situação quanto as medidas a serem tomadas para que chegue a solução. O que me deixa satisfeito é que fizemos o diagnóstico e que a solução já está praticamente acontecendo. Isso é uma realidade, não uma ficção”, detalha Edmar, esclarecendo que este tipo de luminárias é uma tendência moderna, não tendo como não se adequar e usar o que tem de melhor e mais econômico.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também