Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Levantamento aponta que fevereiro de 2020 é o mês com menor número de crimes dos últimos 10 anos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Ualame Machado, titular da Segup

O segundo mês de 2020 registrou 200 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que englobam os delitos de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, apontando uma redução de 20%, ao comparar com fevereiro do ano de 2019, em todo o Estado. O resultado só perde para o mês de janeiro de 2020, que atingiu a maior redução de CVLI dos últimos 10 anos com 199 registros. A diminuição da violência é ainda maior, no comparativo entre 2018 e 2020, em todo o Pará, chegando a marca de 38% casos de CVLI a menos.

Foram registrados, nos meses de fevereiro de 2018, 2019 e 2020, respectivamente, 307, 238 e 200 ocorrências de CVLI. Ainda na linha história, comparando todos os meses, dos últimos dez anos, observou-se uma significativa redução de agosto de 2019 até o mês atual, confirmando que os últimos seis meses foram os menos violentos, desde 2010. Essa é também a maior redução computada se comparar todos os meses de fevereiro desde 2010.


Os dados são da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) que apresentou, nesta sexta-feira (6), os índices de criminalidade no mês de fevereiro de 2020 e destacou, também, a redução de 37% no número de homicídios registrados no Estado, no período de 1º a 28 de fevereiro, em comparação com o mesmo período de 2018. Já em relação ao comparativo com 2019, esse índice apresenta 20% de redução. A queda dos índices representa a preservação de 69 vidas no comparativo dos meses de fevereiro de 2018 e 2020 e 39 vidas em fevereiro de 2019 e 2020, tendo sido registrado em cada ano 100, 70 e 31 homicídios, respectivamente.

Fevereiro é o mês com o menor número de roubos dos últimos 10 anos

Nos casos de roubos, no Pará, houve uma redução de 43% se comparados os meses de fevereiro dos anos de 2018 e 2020, e 23% no comparativo do mesmo período de 2019 e 2020, com 4.038 casos registrados a menos no ano de 2020 em relação ao ano de 2018 e 1.567 casos a menos de 2019 para 2020. Os dados apontam o registro de 9.338 ocorrências em 2018 e 6.867 em 2019 e 5.300 em 2020. O mês de fevereiro de 2020 atingiu a maior redução dos últimos dez anos nos casos de roubo no Estado.

O número de roubos a transeunte teve uma redução de 41% em todo o Pará no comparativo dos meses de fevereiro dos anos de 2018 e 2020. No mesmo período, de 2019 para 2020, a redução atingiu 21%. Em 2018, foram registrados 7.699 casos de roubo a transeunte, no mês de fevereiro, 5.723 no mesmo período de 2019, e 4.533 em 2020. A redução representa 3.166 casos a menos de 2018 para 2020 e 1.190 roubos a menos de 2019 para 2020.

Já os dados de roubos a veículos apresentaram diminuição de 75% em fevereiro de 2018 para 2020 (com menos 491 casos) e de 44% de 2019 para 2020 (com menos 130 casos). Foram computados 658 ocorrências de roubos a veículos em fevereiro de 2018; 297 ocorrências em 2019; e 167 em 2020.
Os roubos a coletivos tiveram redução de 91% (com menos 130 casos) em relação aos meses de fevereiro de 2018 e 2020 e de 78% (com menos 45 casos) no comparativo entre 2019 e 2020. Foram registrados 143, 58 e 13 ocorrências de roubo a coletivos nos três anos, respectivamente.

Região Metropolitana de Belém

A redução dos registros de homicídios na Região Metropolitana de Belém, no período de 1º a 28 de fevereiro, comparando os anos de 2018 e 2020, foi de 69%. Já comparados 2019 com 2020, a redução foi de 56%. Em 2018 e 2019, o número de homicídios totalizou 100 e 70, já em 2020, 31 casos foram registrados. Os índices apontam 69 vidas preservadas em fevereiro de 2018, comparando a fevereiro de 2020 e 39 vidas preservadas no comparativo dos meses de fevereiro de 2019 e 2020.

Nos casos de roubos, na RMB, ao comparar os anos de 2018 e 2020, foi alcançada redução de 51% e, em relação ao ano de 2019, foi registrado o índice de 28% de redução, com 6,078 casos registros em 2018, 4.163 em 2019 e 2.986 em 2020, o que resultou em 3.092 roubos a menos em janeiro dos anos de 2018 e 2020 e 1.117 roubos a menos, no mesmo período de 2019 e 2020.

“Pelo 14º mês consecutivo apresentamos reduções da criminalidade quando comparado aos períodos anteriores. Claro que ainda temos regiões do interior do Estado que precisamos implementar algumas medidas que foram colocadas em prática na Região Metropolitana, e esse é nosso objetivo para 2020. Medidas como o Polícia Mais Forte, repressão qualificada pela Polícia Civil, qualidade nas investigações para conseguirmos no interior as mesmas reduções que verificamos na RMB” – Ualame Machado, secretário de Segurança Pública do Pará.

Cúpula da Segurança Pública do Pará

“Com relação a homicídios e latrocínios, os últimos sete meses são os melhores de toda a linha histórica, desde janeiro de 2010. Quanto ao roubo, computamos, em fevereiro, o menor número desse crime desde 2010”, complementou o titular da Segup.

Trânsito – O Departamento de Trânsito do Pará (Detran) realizou 12.770 autuações, entre as mais recorrentes estão condutores de motocicletas sem capacete, transitar nas rodovias com os faróis apagados, ultrapassagem em locais proibidos, entre outros. Foram 217 casos de autuação por alcoolemia, o que demonstra um aumento de 35% em relação ao ano passado, que teve 160 ocorrências computadas. Foram registrados também 54 acidentes sem vítima fatal.

“O Detran atua em conjunto com o batalhão rodoviário da Policia Militar e, por esse apoio, nós tivemos uma redução significativa de ocorrências nas estradas. Os números, principalmente os de acidentes, são catalogados com dados do Ministério da Saúde, então alguns dados do Pará ainda não estão fechados, mas já temos registros dos fatores de risco no trânsito como alcoolemia, uso de capacete, ultrapassagem em faixa contínua nas estradas e uma maior atuação dos órgãos de segurança para controlar, culminado a isso os acidentes caem”, explicou o diretor-geral do Detran, Marcelo Guedes.

Perícias – Foram solicitados 4.159 exames periciais às Unidades e Núcleos Regionais do Centro de Perícia Criminal Renato Chaves (CPCRC), o que representa uma redução de aproximadamente 40% no quantitativo de requisições em relação ao mesmo período do ano de 2019. Do total de requisições, 2.366 exames foram solicitados ao Instituto Médico-Legal e 1.793 foram solicitados ao Instituto de Criminalística.

“Quando os índices de criminalidade diminuem, a gente consegue fazer uma reengenharia dentro do nosso efetivo, visando melhorar o nosso serviço. Ao analisarmos o ano de 2019 de nossa gestão, melhoramos em 10% o índice mensal de liberação de laudos e 40% da demanda reprimida. Então várias pessoas foram beneficiadas com a justiça, com seu laudo em mãos para buscar seus direitos, bem como a polícia judiciária” – Alexandre Mascarenhas, diretor do CPC Renato Chaves.

Produtividade – De acordo com dados da Polícia Civil, foram instaurados 5.682 procedimentos, representando uma redução de 4,63% em relação a 2019. Por dia, foram registrados 196 procedimentos, demonstrando uma redução de aproximadamente 8% em comparação ao ano passado. No esclarecimento de investigações, o aumento foi de 93%, caracterizando mais celeridade e eficiência no trabalho da Policia Civil, uma vez que elucidou maior percentual de crimes em menor tempo. Ressalte-se que no percentual de esclarecimentos, acumularam-se vários procedimentos instaurados no ano de 2019.

O número de indiciados, no mês de fevereiro, foi de 4.282, 15% a menos que no ano de 2019, demonstrando queda na criminalidade.

“O nosso foco, enquanto polícia judiciária, é exatamente apresentar uma repressão qualificada, e apresentar resolutividade com um índice bastante considerável como apresentamos. Os números mostram que as resolutividades nos procedimentos têm sido muito significativas, e é esse o nosso foco como polícia judiciária. Claro que levamos em conta o que temos de logística, de efetivo, e procuramos potencializar coordenados com os outros órgãos do sistema” – Dilermano Tavares, delegado-geral adjunto.

Integração – As ações de policiamento da Polícia Militar, no mês de fevereiro, foram compostas por policiamentos ordinários e extraordinários. Além disso, na RMB, foram intensificadas as ações de Polícia Mais Forte, com o objetivo de garantir a segurança na capital. Entre os resultados apresentados pela PM no mês de fevereiro estão 144.239 abordagens de pessoas; 22.513 abordagens de carros; 47.751 abordagens de motos; 1.059 abordagens de coletivos; 128 armas apreendidas; 1.829 pessoas presas; 108 veículos recuperados; e 189 foragidos recapturados.

“Em 2019, reestudamos a nossa força operacional, os equipamentos, e elegemos 10 municípios que naquele momento apresentavam maior incidência de criminalidade. Então, efetivamos uma estratégia para ampliar o efetivo utilizando a jornada operacional. Em 2020, nós percebemos o sucesso da estratégia e agora estamos ampliando para 30 municípios, que são aqueles que estão sustentando números ainda não aceitáveis. Ampliaremos o efetivo com o implemento da jornada operacional, em que se compra a folga do policial militar”, explicou o chefe de Estado Maior, Cel. Ronald Souza.

Publicidade

Veja
Também