Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Litro da gasolina chega a passar de R$ 5,00 em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pegar a estrada ou circular pela cidade está a cada dia mais caro. O preço dos combustíveis, principalmente da gasolina, que chegou a passar de R$ 5,00 em posto de combustível, tem sido motivo de preocupação por parte dos consumidores que, sem alternativa, são obrigados a pagar a cada dia mais caro para usufruir dos benefícios de um veículo motorizado em Parauapebas.

Tudo porque os preços do diesel e da gasolina voltaram a subir nas refinarias, quando a gasolina subiu 0,9% e o diesel 0,97%. Com a alta, o preço da gasolina passou a custar, nas refinarias, R$ 2,0867, enquanto o do óleo diesel subiu para R$ 2,3716; sendo este o 11º aumento do preço da gasolina nos últimos dezessete dias.


Para entender melhor esse assunto, procuramos um empresário no segmento de combustíveis, Linei Fernandes, ele explica que esta complicação iniciou quando o presidente americano Donald Trump declarou fim de relações com alguns países e como hoje o preço no combustível é regido por uma bolsa internacional do petróleo, os reajustes não são mais absorvidos pelas empresas distribuidoras. “Essa oscilações sempre existiram, mas quando se colocou o preço regido pela bolsa internacional passamos a ter que aumentar ou diminuir preço todos os dias e isso traz instabilidade no negócio”, explica Linei, dizendo que o consumidor reclama com razão dos aumentos, mas justifica que a alta vem de cima não tendo os donos de postos culpa nisso.

Perguntado se o combustível continuará subindo ou estabilizará, ele diz estar otimista e aguarda reduções dos preços. O motivo de termos um dos combustíveis mais caros do país, ele explica ser pelo transporte, já que somos tido como “fim de linha”, tendo como agravante um único tipo de transporte, o rodoviário; além de ter uma única base de fornecimento em Marabá que, de acordo como por ele mensurado, não suporta a demanda da região, além da base em Açailândia e outra em Belém. “A precificação é feita de forma regional sendo que para as regiões norte e nordeste pagam um valor maior”, conta Linei, lembrando que o Ministério Público já pediu que os donos de postos enviassem demonstrativos de custos que justificasse o preço do combustível, tendo sido devidamente apresentado.

Nossa equipe de reportagens saiu às ruas para ouvir a opinião dos consumidores; um deles foi o técnico em eletrônica, Geilson Santos, que diz não estar fácil a situação. “Tá quase impossível. Muito caro. O jeito será andar de bicicleta já que o aumento ocorre quase todos os dias”, avalia Geilson.

Já o zootecnista Vilson de Abreu Marinho, diz que os reajustes são influenciados pela variação cambial, mas grande parte é da tributação. “Para a gente que trabalha tendo o carro como ferramenta indispensável, tá a cada dia mais difícil, pois, o preço do combustível influencia diretamente em nossa receita”, opina Vilson.

Outro também ouvido pela nossa equipe de reportagens foi o pecuarista Geraldo César, dizendo não estar mais compensando andar de carro. “O jeito é andar só o necessário”, afirma Geraldo, dando como motivo os reajustes e a corrupção.

 

Petrobras anuncia redução

A Petrobras anunciou hoje (23), pelo segundo dia consecutivo, redução nos preços da gasolina e do diesel em suas refinarias. A partir de amanhã (24), o preço da gasolina cairá 0,62% e custará R$ 2,0306 o litro. O preço do diesel terá redução de 1,15% e passará a custar R$ 2,3083, de acordo com a estatal.

Em dois dias, as quedas acumuladas chegam a 2,69% para a gasolina e a 2,67% para o diesel. Apesar disso, a gasolina acumula altas de 12,95%, em maio, e de 16,76% em um mês. O diesel soma aumentos de 9,34%, em maio, e de 15,16% em um mês.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também