Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Mais de 76 mil postos de trabalho formais são gerados no Pará em 2021

Um estudo divulgado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) apontou recorde na geração de postos de trabalho no Pará neste ano. De janeiro a novembro de 2021, foram gerados mais de 76 mil postos de trabalho. Só no primeiro semestre (janeiro a junho), o Estado registrou mais de nove mil postos de trabalho no setor comercial. Em novembro, esse número chegou a seis mil empregos.

Puxado pelos setores de serviço e comércio, os resultados obtidos pelo Pará são os maiores verificados entre os demais estados da Região Norte. A pesquisa realizada pelo Dieese é divulgada a cada mês, elaborada em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), com base em informações do novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Retomada econômica – O avanço da vacinação contra a Covid-19 no Pará e a eficiência da logística de entrega das doses de imunizantes pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) contribuíram não apenas para a saúde da população, mas também para a retomada da economia. Mesmo com os impactos da pandemia, a vacinação chegando a todos os municípios permitiu que o cenário econômico no Pará retomasse o crescimento.

Em suas redes sociais, nesta quinta-feira (23), o governador Helder Barbalho ressaltou a importância desse protagonismo do Pará na região em uma área tão essencial, como a geração de postos de trabalho, e reafirmou o compromisso do governo do Estado em continuar contribuindo para o crescimento da economia.

“Os resultados são os maiores entre os demais estados da Região Norte, com destaque para o setor de serviços. São números que reafirmam o compromisso do Governo do Pará com a retomada da economia. Além disso, o avanço da vacinação tem permitido que o cenário econômico cresça, cada vez mais”, reiterou Helder Barbalho.

O carpinteiro Evandro Ferreira, 38 anos, saiu do município de Moju, na Região de Integração Tocantins, para trabalhar em obra, garantindo o sustento da família. “Eu vim aqui a primeira vez e gostaram do meu serviço. Estou até hoje, pois a ponte é de concreto, mas precisa de muita madeira durante a obra. Eu fico muito feliz de ter a oportunidade da construtora confiar no meu trabalho, e só tenho que agradecer a Deus. Daqui pra frente, mais trabalho”, diz o carpinteiro, que integra a força de trabalho que está construindo a ponte em concreto sobre o Rio Meruu, no município de Igarapé-Miri, na mesma região. A obra integra o pacote de investimentos do governo estadual na infraestrutura de transporte.

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada em agosto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas no varejo cresceram 1,9% de maio para junho de 2021 no Pará, chegando ao terceiro mês de aumento consecutivo no setor. A pesquisa do IBGE produz indicadores que permitem acompanhar a evolução do comércio varejista. Entre as 27 unidades da Federação, o Pará teve o terceiro melhor desempenho, ficando abaixo apenas do Ceará (2,5%) e do Espírito Santo (2,2%). A partir desse resultado, o Estado acumula alta de 17,4% nos últimos 12 meses, ocupando a terceira melhor posição também nesse indicador.

Políticas públicas – O secretário de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Inocencio Gasparim, garante que o processo de retomada econômica ganha celeridade, devido a uma série de políticas voltadas ao fomento e fortalecimento da economia, fazendo com que o Pará norteie a geração de emprego, renda e desenvolvimento. “Desde o início da pandemia, o plano de retomada da economia implantado pelo governo do Estado foi mantido com bastante cautela, cuidando principalmente da saúde do povo. Com a aplicação da vacina, nós alcançamos resultados extremamente positivos, entre eles o primeiro lugar no ranking de geração de empregos entre os estados da Região Norte. Por outro lado, o incentivo às atividades produtivas, com a redução de 90% de ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) para as empresas de transformação, provém recursos à economia, com auxílios e benefícios, e movimenta o comércio e o serviço e, consequentemente, potencializa a contratação de trabalhadores”, explica o secretário.

Ainda segundo Inocencio Gasparim, “temos fechado muitas parcerias, em especial com as federações comerciais. Este ano reunimos com a Associação Paraense dos Supermercados (Aspas) e oficializamos a adesão da Associação ao Programa Primeiro Ofício, iniciativa que viabiliza a inserção de jovens, em situação de vulnerabilidade, no mercado de trabalho. Tudo isso é fruto da soma de esforços que a gestão tem assumido frente à geração de emprego e renda, com o olhar atento e voltado a quem mais precisa”.

Primeiro ofício – O Programa Primeiro Ofício é uma iniciativa do Governo do Pará que garante oportunidades de aprendizagem para jovens de 14 a 24 anos em situação de vulnerabilidade social. Além de promover a inclusão social e diminuir os índices de violência, a iniciativa garante cidadania e a execução da Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000), a qual determina que empresas de médio e grande porte preencham a cota de aprendizes fixada entre 5%, no mínimo, e 15%, no máximo, de acordo com o total de empregados.

Um estudo divulgado recentemente pelo Dieese aponta que, entre janeiro e outubro de 2021, foram contratados aproximadamente 8 mil jovens aprendizes em todo o Pará. As contratações se destacam nos setores do comércio, serviço e indústria, dando ao Pará a liderança nessa área entre os demais estados do Norte do País.

Por meio da Seaster, o Estado mantém o Programa Primeiro Ofício e sensibiliza empresas que usufruem de algum tipo de benefício fiscal a dedicar vagas ao Programa Jovem Aprendiz a pessoas que estejam em situação de vulnerabilidade. O programa já inseriu aproximadamente 1.300 jovens em vagas de aprendizagem e certificou 40 empresas com o selo “Empresa Cidadã”.

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário