Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Mais um curso de qualificação para presos teve início na carceragem do Rio Verde

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Agora já completa 80 o número de presos que recebem curso de qualificação profissional na Carceragem de Parauapebas. Trata-se da lista de 13 cursos, dos quais três já foram realizados, que buscam dar qualificação aos presos para que, depois de cumpridos suas penas, possam ter uma profissão e, caso queiram, manter-se longe do crime.

Primeiro foi ministrado o curso de panificação, seguido de derivados de chocolates, depois de artesanato em sandálias e agora de laticínios. Cada curso tem carga horária de 40 horas e recebem 20 presos que manifestam, livremente, sua vontade de participar do que preferir, sendo depois certificado pelo SENAR/PA com reconhecimento nacional.


De acordo com a direção da carceragem, o curso de laticínios ensinará na teoria e prática como manipular o leite para produzir iogurtes, queijos, doces etc., o que possibilitará retorno imediato ao preso tão logo saia da prisão e comece a empreender. “É uma forma que encontramos de completar o ciclo de reciclagem dos detentos que poderão estar prontos para o bom convívio social sendo, inclusive, multiplicadores de conhecimentos para seus amigos e familiares após deixar a carceragem e não retornando mais para ela”, explica Murilo Sousa, diretor da Casa Penal de Parauapebas, detalhando que hoje foi o dia de inscrições e de aulas teóricas.

Murilo diz não ser fácil fazer tudo isto em um espaço tão limitado, mas graças a tantos amigos e parceiros tem sido possível. Ele dá conta ainda de que, além dos 13 cursos, outros serão oferecidos graças à parceria com o Conselho da Comunidade, sendo entre eles: garçom, assistente administrativo e informática. “Nosso objetivo é o preso e a família deles. Por isto estamos sempre procurando resocializar e reinserir estes presos no mercado de trabalho concluindo o ciclo da reciclagem”, resume Murilo.

 

Quanto à certificação dos três cursos já realizados, panificação, derivados de chocolate e artesanato, ele diz que só falta marcar o dia de acordo com a agenda das autoridades e de parceiros apoiadores, pois os certificados já estão prontos.

João Gabriel, de 20 anos de idade, é detento da carceragem há seis meses e diz se sentir lisonjeado pela oportunidade cedida para fazer o curso de panificação, para ele será um ótimo recomeço e ainda conclui que sonha em montar o próprio negócio. “Eu não tenho profissão nenhuma, mas agora posso dizer que tenho, logo receberei o meu certificado e pretendo fazer mais outros quantos vierem e que sabe montar o meu próprio negócio”, fala todo feliz o detento.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também