Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Medidas de prevenção são implantadas no transporte público de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Com frota reduzida por determinação de Decreto Municipal, além de várias outras medidas preventivas, o transporte público de Parauapebas, explorado pela Central das Cooperativas de Transportes, tem implantado constantes mudanças para poder operar o serviço evitando contaminação pelo novo Coronavírus, causador da Covid-19.

Uma das medidas implantadas é a disponibilização do álcool em gel em estojo afixado antes da roleta, para que tão logo o passageiro passe pela porta de embarque, já higienize as mãos, evitando assim que, através do toque nas cadeiras e outros suportes, o vírus seja proliferado.


De acordo com o presidente da Central, Francisco Brito, o uso obrigatório de máscaras no interior dos veículos já é feito há vários dias. “Estamos aumentando o número de veículos em horários de pico para evitar a aglomeração. Além disto, só estamos carregando em cada carro o limite máximo de passageiros sentados, assim, a circulação de ar fica melhor e evita a aproximação excessiva entre as pessoas”, contou Brito, falando que outro agente portador do vírus, e outras bactérias, são as cédulas de dinheiro que, ainda segundo ele, podem deixar de circular dentro dos ônibus bastando para isto que os usuários adquiram o Cartão Passe Fácil.

A orientação da cooperativa é que com o uso do cartão, além de evitar a propagação de vírus e bactérias, a viagem fique mais rápida, pois, tão logo o passageiro suba no veículo, não se perde tempo cobrando o valor da passagem ou passando o troco.

Para adquirir o Cartão Passe Fácil, basta o interessado ir ao escritório da Central das Cooperativas situado na Rua Sol Poente, esquina com a Rua Mato Grosso, no Bairro Da Paz, e adquirir o seu fazendo no mesmo local a recarga do valor que quiser. “Estamos dando um incentivo para que todos, tanto os usuários diários quanto os esporádicos, passem a usar o cartão. Por isso não estamos cobrando o valor do cartão nem o cadastro, devendo ser pago apenas o valor da recarga”, explica Brito, garantido que o cartão é nominal e rastreado e em caso de perda pode ser cancelado e pedido um novo que virá com a recarga que constar no sistema não havendo perda no valor pago pelo titular do cartão.

A direção da Central das Cooperativas diz ser possível usar o transporte público sem correr riscos de contaminação, bastando para isso que todos tomem as medidas necessárias, não deixando de usar o álcool em gel disponibilizado na entrada dos veículos e usando a máscara. “A população precisa do transporte público e ele não existe sem os passageiros. Por isso, temos que encontrar um jeito de aplicar as recomendações feitas pelas autoridades em saúde e continuar rodando com segurança”, propõe Brito.

Publicidade

Veja
Também