Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Mesmo estando preso, Câmara de Parauapebas mantém mandato do vereador Odilon Rocha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após analisado pela Procuradoria da Câmara Municipal de Parauapebas o pedido de perda de mandato do vereador Odilon Rocha de Sanção (SDD), foi feito o Ato Administrativo 001/2015 e neste a mesa diretora rejeitou o pedido de extinção e manteve no cargo o parlamentar que apesar de preso ainda é titular de uma cadeira na Casa de Leis.

O pedido foi feito por José Marcelo Alves Figueira (Marcelo Parcerinho) (PMDB) e por Valdir Flausino de Oliveira; o primeiro é suplente de Odilon Rocha e o segundo atual presidente do Diretório Municipal do PMDB de Parauapebas.


Segundo o Parecer Jurídico 042/2015, não tem legitimidade para provocar a mesa diretora para que esta declare a perda do mandato de vereador, pois o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) não possui representatividade naquela Casa de Leis.

Outro motivo da negativa da Procuradoria Legislativa quanto à cassação dos mandatos dos vereadores é o percentual de faltas que um parlamentar precisa ter para ser considerado inapto a exercer a função.

O parecer jurídico se embasa no Artigo 17 inciso III onde consta que só deve perder o mandato o vereador que deixar de comparecer em um quarto (25%) das sessões o equivalente a 9,75 sessões, e defende que o vereador Odilon Rocha só faltou até agora a seis sessões.

Com estes embasamentos a mesa diretora não encontrou elementos suficientes para a cassação do mandato do vereador Odilon Rocha e, caso este se apresente nas sessões antes de completar o percentual de 25% de faltas, dará sequência normalmente em seu mandato de quatro anos.

A prisão de Odilon

O vereador Odilon Rocha de Sansão (SDD) foi preso durante a operação ‘Filisteu’, realizada pelo Ministério Público do Pará em Parauapebas do Pará no dia 26 de maio de 2015. O parlamentar é o mesmo que no mês de abril questionou o valor do salário de vereador no município. Além do parlamentar, o empresário Edmar Cavalcante, conhecido como ‘Boi de Ouro’, também foi preso.

A operação investiga um esquema de fraude em licitações e superfaturamento de terrenos desapropriados pela prefeitura local, além de emissão de notas fiscais frias e desvio de recurso público entre os membros da câmara e empresários da região. O empresário é acusado de emitir e vender notas fiscais frias.

Reportagem: Francesco Costa / Foto: Bariloche Silva / Arquivo – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também