Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Metabase diz que Vale não corresponde expectativa de trabalhadores na mesa de negociação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Depois de dois anos sem ganhos reais nos reajustes pleiteados na campanha salarial, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Extração do Ferro e Metais Básicos do Ouro e Metais Preciosos e de Mineração não Metálicos de Marabá, Parauapebas, Curionópolis e Eldorado do Carajás (Metabase Carajás), já iniciou mais uma campanha em defesa dos seus representados.

Porém, de acordo com a direção do sindicato, em reunião ocorrida na última quarta-feira, 18, a mineradora multinacional Vale ainda não apresentou qualquer contraproposta dos reajustes salariais nem das demais cláusulas econômicas, tido como normalmente o prazo para se fazer estudo e depois apresentar em sindicatos em reunião posterior.


Ainda de acordo com a direção do Metabase Carajás, a mineradora, mais uma vez não sinaliza bons resultados nas negociações. E cita como exemplo o Plano Odontológico em que a Vale pretende deixar de pagar os implantes dentários e os aparelhos ortodônticos.

Como compensação para a descontinuação dos serviços odontológicos a empresa propõe uma indenização doe R$ 800,00. “Com esta proposta indecente a empresa tenta passar o facão num direito em que ela própria se elogiou quando concedeu de estar cuidando da saúde bucal dos trabalhadores, e ainda diante de um momento em que tivemos zero de reajustes nos salários e na PLR”, relata Raimundo Amorim, o Macarrão, presidente do Metabase Carajás.

Outra sinalização negativa nas negociações com a mineradora, segundo o Metabase, é a alteração do benefício em plena vigência do acordo coletivo, desrespeitando a data vigente que é 30 de novembro. O que é tido pela entidade sindical como descumprimento de acordo coletivo que só pode acontecer por um novo acordo ainda a ser assinado. “Deixamos claro para a empresa que não levaremos uma coisa escandalosa dessa para a assembleia dos trabalhadores e que aguardamos resposta para os salários e demais pontos econômicos, como o cartão alimentação, aplicando um reajuste com ganho real, além da manutenção dos direitos e compromisso de uma PLR justa ao desempenho e responsabilidade da categoria, que permite os resultados positivos de produção da empresa”, cobra Macarrão.

O presidente da entidade sindical qualifica a proposta como vergonhosa; e diz recusar prontamente a intenção indecente da mineradora na mesa de negociações, esperando que venha uma proposta mais respeitosa e honesta, nas reuniões que deverão ocorrer nos dias 24 e 25 deste mês, outubro. “Mas se depender da proposta que a empresa nos fez, precisaremos de mobilização e de uma verdadeira guerra para que tenhamos uma proposta global e, sobretudo, de salários que respeite os direitos dos trabalhadores”, conclui Macarrão.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também