Ministério Público debate com instituições procedimentos adotados em abordagens policiais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na última quinta-feira (11), no período da manhã, foi realizada pela Promotoria de Justiça de Marabá reunião de trabalho por meio de aplicativo de videoconferência, em razão da pandemia da covid-19 e das medidas sanitárias restritivas para reuniões presenciais, para discutir os procedimentos adotados durante as abordagens da Polícia Militar, a fim de evitar atos discricionários e ilegais que eventualmente possam configurar abuso de autoridade.

A reunião foi proposta pelo Ministério Público do Estado. Para os promotores de justiça Armando Brasil e Daniella Dias, a gestão da Segurança Pública requer novos arranjos institucionais e as agendas de governo devem ser permeadas de espaços deliberativos que promovam o necessário controle social sobre os atos e decisões, fortalecendo a democratização das políticas públicas e ampliando a eficiência e eficácia das políticas de segurança.


A reunião virtual foi coordenada pelos promotores de Justiça Daniella Maria dos Santos Dias (PJ de Marabá) e Armando Brasil Teixeira (PJ Militar) e contou com a presença do Cel. QOPM Benedito Tobias Sabbá Corrêa, Comandante do CPRII; Ten. Cel. QOPM  Dayvid Sarah Lima, Comandante do 4º BPM; Ten. Cel. QOPM José Ricardo Passos Chaves, Comandante do 34º BPM; Ten. Cel. QOPM Gledson Melo dos Santos, Comandante do 23º BPM; Maj. QOPM Jocildo Pereira Dos Santos Júnior, Comandante da 11ª CIPM- Companhia Independente da Polícia Militar, em Rondon do Pará; Ten. Cel. QOPM Luciano Morais Ferreira, Presidente da CorCPR II; Maj. Cleiderson Torres da Costa, Comandante da 1ª CIME; advogado Ismael Gaia, Presidente da OAB, Subseção Marabá.

Publicidade

veja também