Motorista de aplicativo e mais dois indivíduos são presos portando crack e maconha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um motorista de aplicativo e mais dois elementos foram presos na noite de sábado (23) por uma guarnição do Grupo Tático Operacional (GTO) da Polícia Militar portando certa quantidade de maconha e crack. A detenção ocorreu na Rua 25 de Setembro, Bairro Maranhão, em Parauapebas.

Os três indivíduos foram identificados como Thalison Mendes Costa, Halph Wanderson Silva dos Santos (motorista) e Kalyu Monção Pereira. Com eles foram apreendidos 21 gramas de crack, 100 gramas de maconha, um veículo modelo HB20 de cor vermelha e um aparelho celular marca Xiaomi modelo Note 8. Conforme relato dos policiais militares, os três homens detidos pertencem à facção criminosa denominada PCC (Primeiro Comando da Capital).


O trio foi localizado e detido depois que os integrantes da guarnição do GTO receberam a informação dando conta que um motorista de aplicativo que conduzia um veículo modelo HB20, de cor vermelha, estava fazendo entrega de entorpecentes na cidade.

De posse das informações, os PMs localizaram o automóvel com três indivíduos em atitudes suspeitas transitando e os mesmos foram abordados. Em ato contínuo, de acordo ainda com os policiais, os suspeitos tentaram empreender fuga e o condutor jogou o veículo para cima da guarnição, momento em que a guarnição efetuou quatro disparos de arma de fogo em direção aos pneus do carro para impedir a fuga dos mesmos e manter a integridade dos policiais. Foi necessário o uso progressivo da força, bem como das algemas, para resguardar a vida dos indivíduos e da guarnição.

Ao realizar busca pessoal nos suspeitos, a polícia disse ter encontrado no bolso da bermuda de Thalison Costa uma pedra de crack e com Kalyu Pereira uma trouxa de maconha. O motorista Halph Wanderson Santos teria confessado aos policiais que fazia corrida para os traficantes pertencentes ao PCC.

Kalyu Pereira informou à guarnição que havia mais entorpecente em dois endereços fornecidos por ele, mas a polícia disse não ter encontrado nenhum tipo de droga nos endereços indicados.

Mediante a constatação do tráfico de drogas, os elementos foram conduzidos à 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil para as providências cabíveis, onde foram ouvidos pelo delegado plantonista Dufrae Abade. Ainda de acordo com os PMs, o trio tem passagens pela justiça por vários crimes. Procurados pela reportagem, os três não quiseram falar sobre as acusações.

veja também