Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Motorista de caminhão recebe descarga elétrica e sofre queimaduras de 4º grau

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O operador de carreta, José Roberto Delfino dos Santos, de 44 anos, conduzia pela estrada das Tês Voltas, um caminhão da empresa Locfort que transportava um equipamento industrial de grande porte e em um determinado momento, este equipamento encostou-se a um fio de alta tensão, fazendo com que o motorista recebesse uma descarga elétrica de altíssima voltagem. O incidente ocorreu na tarde desta sexta-feira, 13, e o mesmo deu entrada no Hospital Municipal de Parauapebas – HGP, com queimaduras de 4º grau na região dos pés (entrada da corrente elétrica) e da face (saída da corrente elétrica), sendo este, o mais alto grau lesivo de queimadura.

José Roberto deu entrada na sala de estabilização do Hospital por volta das 13h, e prontamente foi recebido pela equipe médica formada pelo Dr. Caio César Aguiar Mundim, pelo enfermeiro, Aramis Vier e pelo técnico de enfermagem, Antônio Luís Cordeiro, no qual foi realizado os primeiros atendimentos ao paciente, com analgesia, hidratação e encaminhado para a realização de exames de eletrocardiograma, no qual, não foi descartado problemas cardíacos e logo após, encaminhado para avaliação do buco-maxilo- facial (profissional da Odontologia).


De acordo com o enfermeiro Aramis Vier, logo após os primeiros atendimentos, foi realizado o encaminhamento para o Hospital Metropolitano em Belém. “O paciente recebeu todo atendimento necessário e se manteve consciente em todo período dos exames iniciais e de maneira estável foi encaminhado para o hospital referência em trauma e queimaduras, Metropolitano.”

O paciente foi transferido para Belém, em uma UTI Aérea, um jato Learjet 31A, e de acordo com o Diretor Comercial da Brasil Vida Taxi Aéreo, Daniel Henrique Costa Sousa, a aeronave possui todos os requisitos para este tipo de atendimento. “O Learjet 31A, em que o senhor José Delfino foi transportado, é referência no segmento, possui maca removível, bombas de infusão de medicamentos, marcador de pressão arterial, cilindro de oxigênio e medicamentos de emergência. Em 40 minutos de voo, todos nós tripulantes da aeronave, sendo, o senhor José Roberto, sua esposa Rosa dos Santos, o copiloto da aeronave e o enfermeiro, estávamos no destino final, cumprindo o objetivo do transporte aeromédico, de levá-lo com agilidade e segurança para a capital Belém, para que pudesse ser avaliado de forma minuciosa, o que falou a favor do paciente, tendo em vista que o transporte aeromédico foi solicitado e atendido imediatamente”.

 

Gilberto Júnior Santos da Silva, coordenador Aeromédico da Brasilvida, falou que o voo foi realizado de forma tranquila e que o paciente se manteve estável até a chegada em seu destino. “Não houve nenhuma intercorrência durante o voo, tendo em vista que, a equipe multidisciplinar do HGP e da Secretaria de saúde do Estado do Pará –SESPA, trabalharam prontamente e de forma sistematizada para que o paciente fosse removido de forma ágil, humanizada e segura.”

O coordenador ainda relata sobre a importância dos primeiros atendimentos que paciente recebeu no HGP. “O objetivo do primeiro atendimento, de acordo com os protocolos internacionais de atendimento no trauma é manter a permeabilidade das vias aéreas e estabilidade da coluna cervical, certificar-se da expansibilidade torácica e respiração adequada, verificar se as condições hemodinâmicas, como frequência cardíaca e pressão arterial estão condizentes com o estado do paciente, verificar nível de consciência e descartar lesão neurológica, assim como avaliar outras lesões e todo esse protocolo foi realizado dentro da unidade hospitalar do primeiro atendimento”.

Após a solicitação de transferência para o paciente José Roberto Delfino dos Santos, a Central de Regulação do Hospital Geral de Parauapebas atuou na regulação do paciente pelo cadastro no Sistema de Regulação Estadual (SER), para liberação de leito no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência. Após o cadastro e contato telefônico realizado pela equipe, o leito foi prontamente liberado e o paciente autorizado a ser encaminhado. É importante ressaltar o apoio da diretora do departamento, Nhirly Samara Araújo Brito, a coordenação da regulação Marcia Carvalho e a plantonista Arlete Costa pela agilidade no processo de cadastro, bem como a atuação da médica reguladora de plantão, Dra. Ana Paula Pacheco Lamego, que buscou apoio com a regulação da equipe do Aéreo SUS para que o paciente fosse removido de UTI AÉREA devido a gravidade do quadro clínico.

O secretário de Saúde de Parauapebas, Gilberto Laranjeiras não mediu esforços para que a transferência fosse feita o mais rápido possível. “Nosso povo precisa ser atendido de forma digna e nós, através também de uma preocupação muito grande de nosso prefeito Darci estamos trabalhando muito para que vidas sejam poupadas e que a saúde pública de nossa Parauapebas seja cada vez mais uma boa referência”, relatou Laranjeiras.

Segundo informação da esposa do paciente, ele já foi avaliado por uma equipe multidisciplinar e realizou alguns exames complementares no Hospital Metropolitano e seu quadro de saúde inspira cuidados no momento.

Publicidade

Veja
Também