Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Motorista sem habiliatação e com 160 kg de drogas no carro atropela e mata casal de irmãos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A polícia prendeu em flagrante um motorista de 25 anos que atropelou e matou um casal de irmãos, além de ferir a mãe das vítimas. Segundo a polícia, ele dirigia na noite de sábado, 28, em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina, a 288 km de Campo Grande, quando furou um bloqueio policial e houve a perseguição.

Em seguida, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o suspeito se envolveu no acidente na BR-267. No carro, que possui placas adulteradas da Bahia e está com restrições de roubo/furto, havia 160 kg de maconha.


“Ele passou direto em uma rotatória, atropelou e depois atingiu um caminhão estacionado em um posto. Naquele local, a mãe estava com a filha de 20 anos e o filho mais novo, de 11 anos. A equipe da PRF já estava o perseguindo, quando flagrou o acidente e um dos agentes saiu para prestar socorro e o outro conseguiu alcançar o autor”, afirmou o delegado Caio Bicalho, responsável pelas investigações.

Conforme Bicalho, o motorista foi levado imediatamente para a delegacia, já que ele corria risco de vida. “Muitos populares estavam ali e presenciaram a cena, então, pela própria segurança ele foi levado. Questionado, o homem disse que chegou no município no último dia 27, buscou o carro perto de Dourados e o levaria para Bahia. Em seguida, ele seguiria para São Paulo, onde reside”, explicou.

Sobre a velocidade, o delegado falou que a perícia foi acionada mas, o suspeito contou que estaria dirigindo a 160 km/h durante a tentativa de fuga. “Ele vai responder por tráfico de drogas, lesão que causou na mãe, dirigir sem habilitação e o duplo homicídio doloso nos filhos. Eu entendi que ele furou um bloqueio policial, dirigiu em alta velocidade em uma área habitada e não tinha CNH [Carteira Nacional de Habilitação]. Ou seja, assumiu o risco”, ressaltou Bicalho.

O homem não tinha antecedentes criminais registrados em Mato Grosso do Sul.

Publicidade

Veja
Também