Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Motoristas de aplicativos protestam em busca de recursos do Banco do Povo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Agora foi a vez de motoristas de aplicativo protestar pedindo recursos emergenciais advindos do Banco do Povo. O ato, ocorrido na manhã desta segunda-feira (17), impediu quem queria acessar o prédio da Prefeitura Municipal de Parauapebas, já que o bloqueio ocorreu na única via de acesso ao local.

De acordo com um dos manifestantes, Francisco de Assis, já fazem vários dias que os motoristas estão esperando a liberação do recurso e, no entanto, até o momento, mesmo com a promessa de que tudo se resolveria no prazo de 30 dias, não viram “a cor do dinheiro”.


De acordo com o manifestante são 50 o número de operadores do aplicativo, em Parauapebas que buscaram o recurso, porém destes, apenas 10 foram contemplados com o benefício. “Depois de fazermos uma manifestação no início de julho, o prefeito prometeu em resolver a situação até o dia 15, data que caiu no sábado. Mas, até agora, se quer, manifestou-se com alguma resposta. Por isso, estamos aqui para, mais uma vez, cobrar o que achamos de direito”, explicou Francisco de Assis, contando que todos os operadores do aplicativo enfrentaram dificuldades no início da pandemia e que, até agora, continuam com baixo faturamento, a exemplo de outras modalidades do transporte público que, segundo eles, depois de também fazer manifestações cobrando o recurso, foram contemplados.

 

Procurado pela equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, Rodrigo Zanrosso, secretário municipal de Desenvolvimento de Parauapebas, explicou que já foram disponibilizados R$ 12 milhões em recursos destinados a cerda de mil beneficiados e que, neste momento, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento (Seden), através do Banco do Povo, está capitaneando recursos para continuar a prestar o devido apoio a quem precisa e, ainda, não tenha sido contemplado. “Foi graças a esse recurso que o comércio resistiu ao momento de crise. Os R$ 12 milhões se transformaram em R$ 50 milhões no comércio. Desse valor, até mesmo os operadores do aplicativos foram amparados, pois, com o girar do recurso, parte do dinheiro foi gasto com transporte tendo sido, com certeza, usado carros que trabalham pelo aplicativo”, explicou Zanrosso, contando que está sendo buscado parceria fora do governo com empresas como, por exemplo, a Vale que, através do Fundo de Desenvolvimento, poderá passar recurso através do Banco do Povo.

Publicidade

Veja
Também