Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Na região de Carajás, Vale registra produção de 36 milhões de toneladas de minério no primeiro trimestre de 2017

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Vale produziu 86,2 milhões de toneladas (Mt) de minério de ferro no primeiro trimestre de 2017 (1T17). Deste total, 36 Mt foram produzidos no Sistema Norte, que compreende as operações de Carajás, Serra Leste e S11D, na região de Carajás, no Pará, representando um aumento de 11,1% em relação ao mesmo período do ano passado. O aumento deveu-se, entre outros, pelos resultados positivos do ramp-up de Ferro Carajás S11D, que está avançando conforme o planejado.

No primeiro trimestre de 2017 (de janeiro a março), a operação do Sossego, com mina em Canaã dos Carajás, produziu 24.900 t de cobre contido no concentrado no 1T17, ficando 10,7% e 11,7% acima do 4T16 e do 1T16, respectivamente. A produção de cobre contido no concentrado de Salobo, com mina em Marabá, alcançou a produção de 42.600 t no 1T17, ficando 3,6% acima do 1T16. A produção de níquel, em Onça Puma, localizada em Ourilândia do Norte, alcançou 6.100 t no 1T17, ficando 8,9% e 10,6% acima do 4T16 e do 1T16, respectivamente. O forte desempenho de produção de Onça Puma foi alcançado por meio de melhoras na utilização dos ativos e produtividade.


A Estrada de Ferro Carajás (EFC) movimentou 39,8 milhões de toneladas (Mt) de minério de ferro e carga geral no 1T17. O minério de ferro foi o principal produto transportado pela ferrovia, totalizando 38,9 Mt no período.

O S11D continua seu bem-sucedido início de operação (ramp-up), avançando de acordo com o esperado. Da mesma forma, o avanço físico na duplicação da Estrada de Ferro Carajás (EFC) chegou a 66%, com 367 km duplicados até março de 2017.

Para suportar as operações no Pará, a Vale desembolsou (entre custeio e investimento) um montante de US$ 928,7 milhões. Nesse período, os investimentos sociais da empresa no Pará chegam ao montante de US$ 5,5 milhões, representando aumento de 54% em relação ao 1T16.  Os investimentos ambientais ultrapassam os US$ 10,1 milhões, que compreendem a 107% acima dos investimentos que a empresa realizou no estado no mesmo período, em 2016.

Publicidade

Veja
Também