No Pará, escolas estaduais iniciam o ano letivo com atividades não presenciais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No primeiro dia de retorno às aulas não presenciais da rede estadual de ensino, conforme decreto nº800/2020, as escolas públicas deram início às aulas e boas-vindas por meio de plataformas digitais para os alunos matriculados na rede. A medida segue os protocolos de biossegurança e prevenção à Covid-19.

Como o cenário epidemiológico no Estado encontra-se com embandeiramentos diferenciados, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) está em continuidade com o movimento Todos Em Casa Pela Educação para assegurar o processo de ensino-aprendizagem de seus estudantes.


A Escola Estadual José Valente, no bairro da Cabanagem, em Belém, transmitiu aulas pelo Google Meet para os alunos do 6º, 7º, 8º e 9º ano do ensino fundamental durante a manhã desta quarta-feira (3). À tarde, as aulas serão direcionadas aos alunos do ensino médio. A diretora da escola explica que o momento exige muito cuidado e atenção para que os alunos recebam, da maneira mais adequada, o conteúdo pedagógico.

“A partir de agora, esse primeiro semestre vai ser de maneira remota para todas as turmas. Vamos ter caderno impresso, mas faremos conforme o combinado com o professor: o caderno servirá de auxílio na avaliação, então no período da avaliação, além de terem a prova normalmente, os alunos vão receber o caderno impresso. É um momento de muito trabalho e desdobramento, porque estamos percebendo que, para fazer esse ensino, a gente precisa de detalhes que exigem muita organização e cuidado”, ressaltou a diretora da escola.

Dona Adriene Silva é mãe do Arthur Silva, de 12 anos, aluno da Escola José Valente. Ela conta que o filho acordou muito animado para esse momento de encontro com os seus colegas de turma e professores, e torce para que ocorra tudo bem.

“Espero que dê tudo certo nas aulas remotas. Sabemos que não é a mesma coisa que a presencial, mas creio que isso vai ajudar muito nesse processo de aprendizagem. Estávamos muito ansiosos para esse começo de aulas online. Aliás, é difícil pra todos nós, mas juntos vamos conseguir”, comentou a mãe.

A escola Estadual José Valente Ribeiro, fica localizada no bairro da Cabanagem e tem mais de 600 alunos matriculados nas modalidades de ensino fundamental e médio.

Os docentes da Escola Estadual Pedro Amazonas Pedroso, no bairro do Marco, realizaram, de forma virtual, uma live orientativa com pais e alunos sobre as ações pedagógicas que serão realizadas este ano. Os gestores esclareceram quanto ao uso do e-mail institucional e plataformas digitais de aprendizagem adotadas para dar continuidade aos estudos. Nesta perspectiva, o objetivo é atender a demanda de forma rápida e esclarecedora.

Escola José Valente

“Nossos professores estão dentro dessa perspectiva e preparados para dar aulas virtuais e orientar os nossos alunos. O objetivo dessa agenda foi atender pais e alunos para esclarecer o funcionamento das salas virtuais, utilização de e-mails institucionais, importância da devolutiva do material didático, bem como nos deixar à disposição para esclarecer dúvidas sobre a área técnica e pedagógica” pontou a diretora da escola Pedro Amazonas Pedroso, Elizabeth Aguiar, que finalizou dizendo que outro ponto importante abordado no encontro foi a preparação dos professores, “nós já estamos prontos para introduzir as aulas pela classe virtual e, também, a escola vai elaborar material impresso, que são os compêndios, uma espécie de apostila, onde tem exercícios e sugestões didáticas para os nossos estudantes”, finalizou a diretora.

Outras Unidades Regionais de Educação (Ure) e Unidade Seduc na Escola (Use) também realizaram aulas não presenciais e encontros virtuais de boas-vindas com os estudantes, além de esclarecer as técnicas e planejamento pedagógico.

Através do movimento Todos Em Casa Pela Educação, os estudantes da rede estadual podem ter acesso aos conteúdos pedagógicos, de forma remota, com videoaulas transmitidas pela TV Cultura, áudios educativos por meio do Seducast, conteúdos de aprendizagens pelo Para Casa, cadernos de atividades estruturantes e compêndios, além da plataforma Enem Pará.

veja também