Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Novo Hospital Municipal: Funcionários da DECOL estão em greve por falta de pagamento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Parece brincadeira, mas não é. Funcionários da empresa Decol Engenharia, empresa contratada pela Prefeitura Municipal de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), estão em greve desde o dia 8 de setembro, o motivo, segundo os operários, é que a empresa está há quase dois meses sem efetuar o pagamento dos quase 100 funcionários que trabalham na construção do novo Hospital Municipal de Parauapebas, localizado na rua “A”, bairro Primavera.

Rua “A” foi interditada
Por volta das 14h00min desta segunda-feira (16), cerca de cinquenta operários que trabalham na construção do novo Hospital Municipal de Parauapebas interditaram a rua “A”, enfrente a construção, para chamar a atenção da imprensa local e autoridades.
Os trabalhadores da DECOL afirmam que só irão parar a manifestação quando os pagamentos dos mesmos forem normalizados.


Em declarações prestadas à reportagem, o operário Oseías Senna Soares afirmou que a empresa há quase dois meses não está honrando seus compromissos com os funcionários e os mesmos estão sendo prejudicados com salários atrasados. “Estamos há quase dois meses sendo humilhados pela empresa Decol e nada é feito pela Secretaria Municipal de Saúde que também é responsável por esses pagamentos”, declarou Oséias, afirmando que o grupo entrou em greve desde o dia 8 de setembro e só voltará às atividades normais quando os pagamentos forem normalizados.

Por sua vez, em entrevista concedida à nossa equipe de reportagem, Avelino Andrade, gerente da DECOL, afirmou que o salário dos operários não está atrasado há dois meses, porém, confirmou o atraso em mais de um mês e 15 dias. Segundo Avelino, o atraso se deve por problemas no sistema da Secretaria Municipal de Saúde de Parauapebas. “O dinheiro para o pagamento dos funcionários já está disponível, porém, por um erro no sistema, não conseguimos ainda efetuar o pagamento, sendo que estamos trabalhando para que o mesmo caia na conta dos operários o mais breve possível”, destacou.

Reportagem: Bariloche Silva / Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também