Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Obra da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Tropical já está com 80% do cronograma concluído

Buscando destinar adequadamente os esgotos domésticos para não contaminarem o Igarapé Lajeado e o próprio Rio Parauapebas, o Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap) está na fase de conclusão da primeira etapa da obra de revitalização e ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Tropical. Os serviços vão contribuir, substancialmente, com a não proliferação de doenças e com a preservação do meio ambiente.

“A ETE Tropical é mais uma obra da Prefeitura de Parauapebas por meio do Prosap. Ela colaborará para que as famílias da nossa cidade tenham mais saúde e, consequentemente, mais qualidade de vida”, ressalta o coordenador de Projetos Especiais, Captação de Recursos e Gestão de Convênios da Prefeitura, Cleverland Carvalho.

A Estação de Tratamento de Esgoto possui um sistema que combina o reator UASB (tecnologia de tratamento biológico de esgotos baseada na decomposição anaeróbia da matéria orgânica) e o sistema de lodos ativados, considerado, segundo os estudos preliminares de concepção, o mais recomendado para o tratamento dos esgotos da região onde Parauapebas está inserida.

Além disso, o processo também permite tratar adequadamente dos efluentes e do custo operacional, já que está sendo construído para minimizar a necessidade de equipamentos eletromecânicos, o que facilitará a manutenção do sistema com a redução do consumo de energia.

Conforme o engenheiro sanitarista do Prosap, Carlos Pereira, a obra, “trata-se de uma megaestrutura que será responsável por receber todo o esgoto gerado na Bacia do Lajeado”. O engenheiro explica, ainda, que as estruturas civis da estação já estão, praticamente, finalizadas. “Estamos na fase de acabamento da estação elevatória, responsável por bombear todo o esgoto recebido para os tanques e na fase de implementação da parte elétrica e hidráulica da ETE”, diz Carlos.

Obra

Para ativar a Estação de Tratamento de Esgoto Tropical, o Porsap teve que demolir algumas unidades existentes como a área de tratamento preliminar, medição de vazão, caixa de areia, elevatória de esgoto bruto e caixa de distribuição, pois essas estruturas não atendiam a nova vazão projetada.

Foram aproveitadas da estrutura antiga os dois reatores UASB, tecnologia de tratamento biológico de esgotos baseada na decomposição anaeróbia da matéria orgânica existentes no esgoto doméstico, e o sistema de lodo, onde estão implantados o tanque de lodo e instaladas as duas centrífugas. A estrutura da casa de operação da estação também foi aproveitada.

O Prosap desativou o flotador (agente de limpeza dos efluentes) já que os estudos preliminares também o consideraram de elevado custo de manutenção química e de consumo de energia. Serão implantadas pelo programa de saneamento ambiental o sistema de desinfecção e o de biogás.

A ETE está sendo dimensionada para atender 43.815 habitantes a uma vazão de 171 litros por segundo de esgoto tratado. Após a segunda etapa de obras, quando todas as unidades forem efetivamente implantadas, a vazão total será de 319 litros por segundo, relativa a uma população de 86.134 habitantes, com 119 quilômetros de rede coletora de esgoto, 08 (oito) estações elevatórias e mais de 7 (sete) mil ligações domiciliares.

 

Bairros contemplados

A primeira etapa de obras da ETE Tropical beneficiará diretamente os bairros Tropical, Popular 2 (Habitar Feliz), Polo Moveleiro, Minérios, Vila Nova e Novo Viver; após a implantação da segunda etapa (ampliação), os bairros Jardim Canadá, Betânia, Vila Rica e Novo Horizonte também serão beneficiados pelos serviços.

 

Reportagem: Nara Moura

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
1
+1
1
+1
2
+1
0
+1
0
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário