Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Olimpíada de Astronomia atrai mais de 14 mil estudantes de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Mais de 14 mil estudantes de 33 escolas da rede pública municipal de Parauapebas participaram da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e da Mostra Brasileira de Foguetes (Mobfog) realizada na última sexta-feira, 19.

Coordenada pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e pela Agência Espacial Brasileira (AEB), a OBA, que este ano já está em sua 20ª edição, visa despertar ainda mais a atenção dos estudantes para a importância da astronomia e astronáutica, levando-os a se aprofundarem em questões como a magnitude do sistema solar, localização do planeta terra nesse sistema, a importância do sol para sobrevivência do planeta e tantos outros assuntos.


Já a Mostra Brasileira de Foguetes (Mobfog) objetiva fomentar o interesse dos jovens pela astronáutica, física, astronomia e ciências afins, promovendo assim a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa. A Mostra avalia a capacidade dos estudantes de construir e lançar, o mais distante possível, foguetes feitos de materiais reciclados, como garrafa pet, tubo de papel e canudo de refrigerante.

A Escola Carlos Henrique inscreveu mais de 400 alunos na olimpíada e fez o lançamento de 48 foguetes. A expectativa com relação ao resultado da competição é grande na comunidade estudantil. “Os professores acompanharam e incentivaram a participação dos alunos, sempre trabalhando os conteúdos e orientando-os sobre a confecção dos experimentos, por isso, alcançamos uma participação significativa dos estudantes e lançamos quase 50 foguetes. Esperamos obter um bom resultado”, almeja a coordenadora Renilda dos Reis Dias.

A escola Olga da Silva também participou. Lá, 168 alunos do 6º ano realizaram a prova. Para a equipe de gestores da instituição, a participação dos alunos em atividades como esta estimula o senso crítico e desperta o interesse por essa parte da ciência: a astronomia. “Nós nos organizamos e incentivamos a participação dos alunos na competição, inclusive realizamos aulas extras e aulas práticas. Foi muito gratificante vê-los envolvidos e empenhados”, diz o coordenador pedagógico Daniel Oliveira da Silva.

A professora de Ciências Ana Beatriz Correa Pinheiro, também da Escola Olga da Silva, ressalta o quanto os alunos se empenharam. “Desde o início do bimestre, quando o desafio foi passado para as turmas de 6º ano, todos os alunos de forma unânime mostraram bastante interesse e compromisso, e ao longo do bimestre esse engajamento se fortaleceu”.

Para a coordenadora de Ciências dos 3º e 4º Ciclos, Margarida de Queiroz Figueiredo, a quantidade de alunos inscritos na competição superou as expectativas. “O esforço e comprometimento dos nossos professores de ciências e das equipes gestoras das escolas foram fundamentais para a adesão dos estudantes e aquisição de novos conhecimentos científicos e tecnológicos”, conclui a coordenadora, para afirmar que o interesse dos alunos em participar da OBA é crescente a cada ano.

EDIÇÃO 2016

Parauapebas conquistou 101 medalhas na competição em 2016, sendo 47 de bronze, 35 de prata e 19 de ouro, sem contar as menções honrosas. As escolas destaques na edição foram Joao Prudêncio de Brito com um saldo de 19 medalhas (6 bronzes, 9 pratas e 4 ouros); Plácido de Castro com 11 medalhas, todas de ouro; e Chico Mendes com 10 conquistas (3 bronzes, 6 pratas e 1 ouro).

Reportagem: Messania Cardoso / Ascom-PMP

Publicidade

Veja
Também