Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Operação Sísifo investiga esquema de fraudes em benefícios previdenciários em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Federal, em parceria com a Previdência Social, deflagrou hoje (12) a Operação Sísifo, para investigar fraudes em benefícios do INSS, no Pará. Na ação, foi preso um despachante, suspeito de fraudar mais de R$ 500 mil em benefícios do INSS. Ele foi identificado pela Previdência Social como um dos maiores agenciadores individuais de benefícios fraudulentos do Pará.

Policiais federais dão cumprimento a um mandado de prisão preventiva, a dois mandados de busca e apreensão, além de uma condução coercitiva, todos, na cidade de Parauapebas.


De acordo com a investigação, o esquema montado para tentar enganar a Previdência consistia em gerar certidões de atividade rural falsas e também outros documentos comprobatórios com o objetivo de conseguir aposentadorias e benefícios que não eram devidos. O despachante chegava a induzir clientes a contratar advogados para obter os benefícios, na Justiça, mesmo depois de negados pelo órgão previdenciário.

O suspeito já foi indiciado pelos mesmos crimes pela PF e atua de maneira irregular há mais de seis anos. Ele vai responder por crimes de estelionato qualificado, uso de documento falso e falsificação de documentos, após a análise do material probatório das ações. Se condenado, poderá pegar penas que variam de um a 12 (doze) anos de prisão, ou mais, acaso reconhecido o concurso material de crimes.

* Na mitologia grega, Sísifo era o rei da malícia e da malandragem, acostumado a enganar aos deuses. Porém, um dia, após muitas peripécias, acabou condenado a seguir a sina de todo mortal, qual seja, viver do incansável trabalho e da rotina do dia a dia, no exercício da paciência e do labor.

A equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar tentou entrar em contato com a Polícia Federal em Marabá, para que os nomes dos acusados fossem divulgados, porém, até o fechamento desta matéria, as autoridades policiais não fizeram a revelação para a imprensa, para que as investigações não sejam atrapalhadas.

Publicidade

Veja
Também