Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

OPORTUNIDADES: Programa “Cidade Igualdade” vai qualificar 25 mil mulheres em Parauapebas

Até 2025, a Prefeitura de Parauapebas planeja qualificar cerca de 25 mil mulheres em profissões tradicionalmente masculinas e aumentar em 50% a taxa de participação feminina no trabalho formal em Parauapebas.

A meta está no Programa “Cidade Igualdade”, que será lançado às 16 horas desta terça-feira, 15, no Parque de Exposições de Parauapebas, com a presença do prefeito Darci Lermen, do secretário especial de Governo, Keniston Braga, e gestores das demais secretarias envolvidas no programa.

As inscrições para os cursos já começam nesta terça-feira. As aulas serão iniciadas no final deste mês tanto na zona urbana quanto na rural. Podem participar mulheres alfabetizadas, com mais de 16 anos de idade, residentes em Parauapebas. Será dada prioridade àquelas em situação de vulnerabilidade social.

Entre os cursos ofertados, estão de operação de equipamentos de mina e de usina, processo de soldagem, torneiro e ajustador mecânico, automação e controle industrial, eletricista, pedreiro de alvenaria, operação de empilhadeira e de retroescavadeira, pintor industrial, montador e reparador de computadores e mecânico de manutenção industrial.

O Cidade Igualdade será executado dentro de quatro eixos:

1 – Qualificação profissional: será de forma gratuita para atuação profissional das mulheres e para o empreendedorismo feminino, tudo conectado com as demandas econômicas de Parauapebas.

2 – Empreendedorismo feminino: promover o empreendedorismo feminino por meio de capacitação, qualificação e acesso a linhas de crédito financeiro específicas bem como estudos para viabilidade de novas matrizes econômicas.

3 – Estágio, emprego e renda: oportunizar a ocupação laboral no mercado formal de trabalho ou a ocupação autônoma formal.

4 – Garantias de acesso e permanência: proporcionar meios para a conclusão da educação básica, sem prejuízo às políticas públicas educacionais municipais ou estaduais já existentes; garantir meios de acesso e permanência das mulheres matriculadas nos cursos oferecidos por meio de políticas socioassistenciais e educacionais.

DADOS

Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do governo federal, a taxa de participação da mulher no mercado formal de Parauapebas vem caindo a cada ano. Era de 37% no ano de 2017 e baixou para 30% em 2020 com a taxa de participação do homem subindo para 70%.

Ainda segundo a Rais, até 2019 o setor Serviços foi o que mais absorveu a mão de obra feminina: 32,7%. Na administração pública, estão 27,9% das mulheres e, no comércio, 23,8%.

Enquanto isso, na mineração trabalham apenas 6,9% das mulheres que atuam no mercado formal. Na construção civil, 5,1% e na indústria de transformação, 3,0%.

Qual sua reação para esta matéria?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
Leia também no Portal Pebinha de Açúcar:

Deixe seu comentário