Pará tem produção agrícola estimada em 3,3 milhões de toneladas para 2021

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

As estimativas são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do mês de março de 2021, divulgado nesta quinta-feira

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que, em 2021, haja aumento na produção agrícola de todas as regiões do país. A região Norte deve produzir 11 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas, 1,4% a mais que no ano passado. O Pará está entre as unidades da federação que acompanha essa tendência ao crescimento. Estima-se que o estado produza 3,3 milhões de toneladas em 2021, 17% a mais em relação a 2020.


O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) fornece estimativas sobre produtos selecionados com base em critérios de importância econômica e social para o país. Cada cultura é acompanhada desde a intenção de plantio até a colheita, fazendo prognóstico da safra para o ano seguinte. No Pará, os produtos investigados em março foram amendoim, arroz, feijão, milho, soja, sorgo, banana, cacau, café (canephora), fumo, laranja, mandioca e tomate.

De acordo com o levantamento feito em março, o IBGE estima que, em 2021, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas em terras paraenses deva ultrapassar 3,3 milhões de toneladas (3.330.507 toneladas). Em relação a fevereiro, quando a expectativa era de 2,9 milhões de toneladas, o aumento foi de 13,9%. Já em relação a 2020, quando era esperados pouco mais de 2,8 milhões, a variação foi de 17% a mais.

Quanto à área dedicada ao plantio de cereais, leguminosas e oleaginosas, no Pará a estimativa é de 1,1 milhão de hectares em 2021, o que representa aumento de 14,6% em relação a fevereiro, que foi de aproximadamente 978,5 mil hectares, e de 17,1% em relação a 2020, quando estava em pouco mais de 957 mil hectares.

Produção

Na produção de arroz, espera-se que o Pará tenha um crescimento de 3,7%, com 108 mil toneladas este ano (em 2020, a estimativa foi de 104,5 mil toneladas).

Quanto ao feijão, a primeira safra paraense de 2021 foi estimada em 8,7 mil toneladas, o que representa 2,7% a mais do que em 2020, quando a estimativa ficou em torno de 8,5 mil toneladas. A segunda safra deve ter aumento de 1,5% em relação ao ano passado, com 11,5 mil toneladas do produto.

No Pará, ambas as safras de milho devem ter crescimento em 2021, especialmente a segunda, que está estimada em 463 mil toneladas: 36,6% a mais que em 2020 (339 mil). Para a primeira safra estima-se 510 mil toneladas de milho, 4,3% acima do valor estimado no ano passado.

As produções de soja e de sorgo também têm previsão de crescimento. O estado deve produzir 2,1 milhões de toneladas de soja (17,6% acima da estimativa de 2020) e quase 39 mil toneladas de sorgo (aumento de 25,6%).

A produção paraense de mandioca deve crescer em 3,3% em relação a 2020. São estimados quase 4 milhões de toneladas para este ano.

Já a produção de castanha-de-caju deve ser de 708 toneladas em 2021, o que significa queda de 5,1% em relação a 2020. A produção de fumo também deve cair: serão 16 toneladas, 11,1% a menos que no ano passado.

Já na fruticultura, os únicos produtos paraenses com estimativa de crescimento são a banana, com quase 415 mil toneladas previstas para este ano (2% a mais do que no ano passado), e o tomate, com 5,8 mil toneladas estimadas para 2021 (0,8% a mais). A laranja deve sofrer queda da ordem de 7,3%, com previsão de 227 mil toneladas da fruta (foram quase 245 mil em 2020). De cana-de-açúcar, o estado deve produzir 1 milhão de toneladas (0,3% a menos que em 2020), além de 144,2 mil toneladas de cacau (0,3% a menos) e 228 toneladas de café (1,3 % a menos).

Os dados completos do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de março de 2021 para Brasil, regiões e todas as unidades da federação estão disponíveis no portal do IBGE (www.ibge.gov.br) e na plataforma Sidra (https://sidra.ibge.gov.br/home/lspa/brasil). As estimativas para o Pará então acessível através do link: https://sidra.ibge.gov.br/home/lspa/para.

0

Publicidade

veja também