Parada Gay de Parauapebas acontece neste domingo (16) com show de Manú Batidão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O evento é organizado pelo Instituto Abraço à Diversidade (IAD), e desde sua primeira edição atraiu milhares de pessoas para acompanhar a passeata do movimento LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) que sai do Bairro Rio Verde até o Bairro Cidade Nova, onde há grande concentração de populares para assistir a shows das bandas locais, regionais e apresentações culturais.

Cristina Carmona é a presidente do IAD e falou com exclusividade e em primeira mão à equipe de reportagem do Portal Pebinha de Açúcar e disse da expectativa para este evento. “Na verdade, acaba sendo dois eventos, pois antes da Parada tem a Pré-Parada. Um aquecimento para o dia seguinte quando ocorre a partir das 15 horas a concentração para a Parada”, explica Carmona, detalhando que logo em seguida será feita a caminhada até a Praça de Eventos onde ocorrerão os shows e apresentações. A animação este ano ficará a cargo de Manú Batidão; além de Silvinho & Banda; e Jairo Ueno.


Mas a programação começou no dia 12 de agosto as 19 horas na Praça de Eventos onde aconteceu a Gaymada; no dia 13, também as 19 horas no CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) houveram palestras sobre diversos temas de interesses da comunidade LGBT; no dia 14, foi a vez da amostra de filmes com temáticas LGBT, na Rua E, no prédio da antiga Câmara Municipal; dia 15, Noite da Preparada, no SporTV, no bairro Beira Rio, frente ao Ginásio de Esportes.

Este ano o tema da Parada será: “AIDS NÃO TEM CURA, MAS SEU PRECONCEITO TEM!” e trabalhará a conscientização dos homossexuais para a prevenção das DST’s / AIDS (Doenças sexualmente transmissíveis) e da sociedade para minimizar o preconceito. “Sabemos que não é fácil curar o preconceito, mas estamos neste enfrentamento há muitos anos e na Parada Gay temos um momento para manifestar”, diz Carmona, mensurando que o evento também movimenta a economia, lota os hotéis, aquece o comércio varejista e restaurantes. Mesmo assim ela diz que não é fácil convencer os empresários de apoiar o evento com patrocínios.

Carmona salienta ainda que os homossexuais são consumidores como qualquer outro, ou até mais consumistas, motivo que merecem igualmente o respeito e o apoio em seus eventos.

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar
Foto: Arquivo/Pebinha de Açúcar

Publicidade

veja também