Single Posts
Confirmados
27.118
Single Posts
Recuperados
17.094
Single Posts
Óbitos
184

 Publicidade

PARAUAPEBAS: Celpa ignora lei municipal e diz que segue determinação federal

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
PARAUAPEBAS: Celpa ignora lei municipal e diz que segue determinação federal

Durante a Sessão realizada ontem (17), na Câmara Municipal de Parauapebas, o vereador Ivanaldo Braz apresentou um documento que pede a convocação de representantes da Centrais Elétricas do Pará (Celpa) e do Procon, para que os mesmos possam esclarecer sobre o não cumprimento de uma lei municipal que proíbe o corte do fornecimento de energia elétrica nos finais de semanas, feriados e também nas vésperas destes dias.

O Portal Pebinha de Açúcar publicou AQUI uma matéria com todos os detalhes, e durante a manhã desta quarta-feira (18), através de sua assessoria de comunicação, a empresa encaminhou uma nota sobre o assunto, confira abaixo:


Nota da Celpa

“Em relação a Lei nº 4.331/2007, aprovada pela Câmara Municipal de Parauapebas, a qual prevê a proibição da suspensão do fornecimento energia elétrica nos finais de semana, a Celpa esclarece que, como concessionária do serviço público federal de energia elétrica, está submetida à legislação do setor elétrico brasileiro e às normas definidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que é responsável por regular e fiscalizar a produção, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, em conformidade com as políticas e diretrizes do Governo Federal. As normas referentes ao setor elétrico vigentes autorizam a suspensão no fornecimento de energia em todos os dias úteis.

De acordo com a Constituição Federal, somente a União detém a competência para legislar sobre energia elétrica. Consequentemente, leis estaduais ou municipais que tratem sobre tarifas, cortes, prazos de vencimentos de faturas de energia elétrica, bem como sobre outros assuntos relacionados ao fornecimento de energia elétrica, inevitavelmente conflitam com a Constituição Federal e devem ter a sua constitucionalidade analisada pelo Poder Judiciário.

Por fim, a Celpa se coloca à disposição para prestar qualquer outro esclarecimento necessário”.

Publicidade

Veja
Também