Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Parauapebas é representada no pódio da Copa Norte e Nordeste de Fisiculturismo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Um esporte duro, em que o atleta, espontaneamente, desafia seus limites nos treinos e no controle alimentar, sendo posto à prova todos os dias, cujo resultado é avaliado na hora da competição.

Parauapebas conta com um desses “heróis da resistência”, que treinou pesado para representar o município na Copa Norte Nordeste (aberto nacional); o evento esportivo que contou com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), foi organizado pela Federação Paraense de Fisiculturismo e Fitness que é classificatório para o Fitness Brasil Internacional e o Campeonato Brasileiro 2020.


A competição ocorreu nos dias 14 e 15, no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, em Belém, capital paraense, onde corpos desenhados, desenvoltura no palco e uma coreografia impecável, foram apresentados por 159 atletas, avaliados por volume, definição, proporção no desenvolvimento muscular e simetria corporal, durante o julgamento dos participantes masculinos. Já na feminina, se julga simpatia, o desfile e a beleza física. Os critérios dos juízes também variam conforme a categoria do concorrente, cada uma tem as suas particularidades. Ao todo foram 58 categorias julgadas.

 

“Cheguei na véspera da competição com três quilos a mais; tive que improvisar uma sauna dentro de um carro para me entender com a balança”, contou Luís Fernando, que competiu na categoria Sênior, até 75 quilos.
Porém, o esforço do atleta foi recompensado ao conquistar o Top3, ficando próximo dos melhores, o Top1 Breno e o Top2 Rildo. Resultado que ele diz ser satisfatório se levado em conta as condições em que ele, e muitos atletas de cidades do interior, treina. “Os apoios são mínimos dado por empresas que apoiam com suplementos; já do poder público não tenho nenhum apoio”, detalha Luís Fernando, contando que, tão logo decidiu ser atleta em nível de competição, montou a própria academia e é lá que treina e também tira o sustento para a família, pois, reconhece que se depender da carreira esportiva e do apoio de empresas e das esferas públicas se torna impossível a permanência na modalidade.

Para o presidente da Federação Paraense de Fisiculturismo, Rosivan Cardoso, eventos como esse possuem uma grande importância para o nosso estado. “Com todo o apoio e incentivo que temos recebido, conseguimos realizar mais um grande evento e dá continuidade ao nosso trabalho. Contamos com a presença de competidores de alto nível de diferentes localidades do nosso país, e essa visibilidade é muito importante para o fisiculturismo paraense”, ressalta Rosivan.

Publicidade

Veja
Também