Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

PARAUAPEBAS: Ex-administrador contesta afirmação de que igreja doou área para construção de praça

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Inaugurada em 1990, no dia em que Parauapebas fazia dois anos de emancipação político-administrativa, a Praça Mahatma Gandhi é uma referência que ao longo dos anos foi palco de eventos e protestos; ponto de encontro de gente, hoje não mais tão jovem; e de outros que, ainda jovens, continuam se vendo por lá.

Há duas semanas, a população foi surpreendida com a proposta de mudar o nome do espaço público para Praça São Sebastião, em homenagem à igreja de mesmo nome, localizada na referida praça.
A ideia partiu da vereadora Francisca Ciza (Democratas) que, através da Indicação 218/2018, propôs que o prefeito Darci Lermen sancione lei versando sobre a mudança de nome da praça. A proposição causou polêmica e dividiu opiniões.


Para apaziguar a situação, padre Patrick, pároco da paróquia São Sebastião, “jogou água na fervura”, publicando em suas redes sociais um vídeo, dando conta que a área onde hoje existe a praça, alvo da polêmica, foi doada ao município pela igreja católica.
“Esse terreno onde está situada hoje a Praça Mahatma Gandhi, em frente à matriz de São Sebastião, pertencia à igreja católica antes de a praça ser construída e foi gentilmente cedido à prefeitura, porque sempre valorizou esses espaços de lazer para a população”, afirma padre Patrick no vídeo, onde ainda diz que, infelizmente, não tiveram a nobreza de reconhecer na época a doação que foi feita e colocaram o nome Mahatma Gandhi.

 

A declaração do pároco é contestada pelo primeiro administrador do então distrito Parauapebas, Chico Brito. “A verdade é outra e que não tem como a área ter sido da igreja católica”. Chico Brito afirma que a área foi registrada no projeto inicial de Parauapebas, e que os lotes na parte dos fundos estavam à disposição para serem doados.
“Como a igreja católica nos pediu, então doamos a ela. Não se conhece fato de que a igreja tenha doado terrenos, mas, sim, que sempre tenha sido contemplada com doações de áreas”, contesta Chico Brito.

Reportagem: Francesco Costa | Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também