Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Parauapebas: Secretaria de Fazenda, enfim, retoma finalidade após ganhar independência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

José Rinaldo Alves de Carvalho, titular da Secretaria Municipal de Fazenda de Parauapebas (Sefaz), planeja administração tributária eficiente para trazer benefícios à comunidade e melhorar a qualidade de vida da população de Parauapebas.

Você sabe qual a missão de uma Secretaria de Fazenda (Sefaz)? Não? Pois bem, em Parauapebas, como em qualquer outro lugar, uma Sefaz busca, prioritariamente, oportunidade de negócios para o município, de maneira a captar recursos externos e administrar a programação financeira interna. Tudo isso de forma segura e racional, promovendo a articulação entre as necessidades e a disponibilidade orçamentária do município. Nessa empreitada, a Sefaz precisa apresentar as contas públicas com clareza, com vistas a atingir maior transparência da gestão governamental. Contas enxutas e credores satisfeitos é espelho positivo de uma gestão equilibrada.


No município de Parauapebas, os objetivos precípuos de sua Secretaria Municipal de Fazenda estão, aos poucos, voltando à normalidade, após o órgão ter tido suas atribuições atreladas, com fracasso, à Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan). Isso porque, no organograma de atribuições básicas da estrutura municipal, a missão da Sefaz é uma e a da Seplan, outra completamente diferente. É mais ou menos a diferença entre água e vinho – e não adianta gambiarra em misturá-los, para o vinho ficar mais ralo ou água, palidamente roxa.

Na visão de comerciantes e entendidos de economia e finanças, a independência da Sefaz, para atuar sem palpites metodológicos externos na formulação, coordenação e execução das funções de administração tributária, financeira, orçamentária e patrimonial do município de Parauapebas é um motivo a comemorar porque poderá destravar muita coisa que atualmente engessa o governo, o que, por consequência, traz implicações, irritações e transtornos à vida de empreendedores e comerciantes.

Em entrevista ao Jornal Tablóide e ao Portal Pebinha de Açúcar , o titular da Sefaz, José Rinaldo Alves de Carvalho, promete ser incansável na meta da prefeitura de constituir créditos tributários visando ao fortalecimento financeiro de Parauapebas, que é o segundo município mais rico do Pará e o que possui, também, o segundo maior orçamento, atrás apenas de Belém. “Os frutos de uma administração tributária praticada com eficiência se traduzem em benefícios coletivos, por meio da execução de obras, saneamento básico, saúde, educação, entre outros serviços essenciais à qualidade de vida da sociedade parauapebense”, destaca Rinaldo, experiente empresário municipal que sabe, na prática, as implicações diretas de ações conduzidas pelo órgão. Rinaldo é um empreendedor entre os 1.855 que escolheram Parauapebas para abrir algum negócio e emitir nota fiscal, conforme dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Nos últimos dez anos, a receita corrente do município de Parauapebas saltou de R$ 81,7 milhões para R$ 505,6 milhões, um expressivo crescimento de 520%.

VISIONÁRIO CAPACITADO
O titular da Sefaz, José Rinaldo Alves de Carvalho, 40 anos, é um dos empresários mais bem-sucedidos de Parauapebas, município do qual é cidadão desde janeiro de 1996, quando se mudou à Capital do Minério por acreditar no potencial local, ainda tímido àquela época. Natural de Ceres, Estado de Goiás, Zé Rinaldo já fez de tudo: foi office boy, escriturário e gerente de banco. Um dia, ele deixou a promissora carreira de executivo no Banco do Estado de Goiás (BEG) e apostou no desenvolvimento de Parauapebas, onde hoje é dono e sócio de ao menos uma dúzia de empresas – de supermercados ao hotel mais luxuoso da cidade.

Ex-presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Parauapebas (Acip), na vida política Zé Rinaldo é atualmente presidente do diretório municipal do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), presidente da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa) e uma das lideranças mais influentes no interior do Pará junto ao governador do Estado, Simão Jatene.

Publicidade

Veja
Também