Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Pipas causam transtornos no sudeste do Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A chegada do verão amazônico e o período das férias escolares costumam dar vida a uma das mais tradicionais brincadeiras do estado do Pará: as pipas. No entanto, a atividade vem causando uma série de transtornos no que diz respeito ao fornecimento de energia elétrica.

Dados da Celpa apontam que só neste ano em Marabá, sobretudo neste mês de junho, já houve 66 ocorrências de falta de energia em função das rabiolas que ficam engatadas na fiação elétrica. Os bairros mais prejudicados são o Da Paz, Brejo do Meio e Cidade Nova, onde mais de 24 mil famílias já ficaram sem luz por conta dos papagaios.


Outras cidades do Sudeste paraense também apresentam indicadores nada favoráveis na relação pipas e rede elétrica. Em Paraupebas, por exemplo, já foram contabilizados mais de 50 casos de falta de energia. Outro indicador preocupante está em Tucuruí, onde já foram apuradas em torno 36 situações de falha no fornecimento motivadas pela ‘brincadeira’. As duas cidades juntas tiveram mais de 26 mil consumidores afetados por faltas de energia decorrentes das pipas que ficam enroscadas na fiação.

O executivo da área de Serviços de Rede da Celpa de Marabá, Carlos Ivan Pantoja, explica que pipas e rede elétrica não combinam em hipótese alguma. “Em todo o Pará nós já estamos com mais de duas mil ocorrências de falta de luz por causa da atividade, só neste ano. É um prejuízo para toda a sociedade. Por isso que as pipas devem ser empinadas em locais descampados, longe da rede elétrica. E jamais se deve retirar as rabiolas que ficam engatadas na fiação, ainda mais com barras de metal e outros materiais condutores. Nesses casos, há o risco de um curto-circuito ou uma descarga elétrica fatal”, afirma Ivan.

PERIGOS – O cerol (mistura de cola com vidro moído, em alguns casos até com pó de ferro) é outro ponto que merece atenção. O produto é ilegal, mas ainda assim é utilizado para dar maior força de corte à linha. Ao entrar em contato com a fiação elétrica, também pode provocar um curto-circuito, além de representar um risco iminente a pessoa que o utiliza, pelo potencial de corte. “Nós já registramos até casos em que o próprio fio de cobre é usado para empinar as pipas. E fios metálicos jamais devem ser utilizados para este fim, pois é grande a probabilidade de um acidente muito grave”, finaliza Carlos Ivan.

DICAS DE SEGURANÇA

Empine pipas em campos abertos e longe da fiação elétrica

– Não utilize barras de ferro e outros objetos metálicos para retirar as pipas que ficam enroscadas na fiação.

– Evite o cerol. O produto é ilegal e ainda pode provocar curtos-circuitos

– Não corra em meio aos carros para apanhar as pipas que caem. O risco de atropelamento é grande. ​

Publicidade

Veja
Também