Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

PNS 2019: Cai o número de consumidores de álcool no Pará

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na contramão do cenário nacional, em que houve aumento de quatro pontos percentuais (saltou de 26% para 30%) no consumo de álcool por adultos, no ano de 2019 a população do Pará apresentou redução no consumo: 17,3% da população adulta afirmaram ter bebido semanalmente, contra 18,6% em 2013. Entre os que costumavam beber mensalmente também houve redução: em 2013 equivaliam a 21,4% dos adultos e em 2019 correspondiam a 20,7%. Os dados são da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em convênio com o Ministério da Saúde.
No comparativo por faixa etária (ambos os sexos), a maior proporção de pessoas que beberam pelo menos uma vez na semana foi de adultos com 25 a 39 anos (22%), seguida de perto por jovens de 18 a 24 anos (18,5%). Apenas 8,4% dos idosos de 60 anos ou mais consomem bebida alcoólica semanalmente, a faixa com o menor resultado. Já no comparativo por sexos, 26,4% dos homens costumavam beber pelo menos uma vez na semana em 2019, quase o triplo do percentual feminino de 8,9%.
Ao avaliar as faixas de rendimento, percebe-se também uma tendência: o consumo de álcool aumenta quando o rendimento é maior. O índice fica entre 14% e 16% entre os sem rendimento ou que ganham até um salário mínimo, chega a 22% nos que estão na faixa de um a dois salários mínimos e dispara entre os que ganham mais de cinco salários: 42,5%.
Nota-se, também, que dirigir depois de beber é uma tendência majoritariamente masculina: enquanto, em um intervalo de 12 meses, 25,6% dos homens dirigiram após beber, o percentual de mulheres que fizeram o mesmo foi 11%. Entre os que misturaram trânsito e direção, constatou-se que a maioria tem os níveis de escolaridade sem instrução e fundamental incompleto (30%) e fundamental completo e médio incompleto (30%), enquanto um número menor possui o nível superior (15%).
O consumo de bebida alcoólica, sinaliza a pesquisa, é um dos maiores fatores de risco para a população, sendo considerado uma das principais causas de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), bem como dos acidentes e violências.
Na avaliação do próprio estado de saúde, 59,5% da população do Pará com mais de 18 anos avaliaram ter a saúde boa ou muito boa.

Publicidade

Veja
Também