Polícia Civil investiga fraude em licitação e desvio de verbas no Programa Asfalto na Cidade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Civil do Pará, por meio da Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (Decor), deflagrou a “Operação Cratera” na manhã deste sábado, 30, com uma ação de cumprimento de mandados de busca e apreensão. O objetivo foi apurar indícios de fraude em licitação e desvios de verbas públicas no programa Asfalto na Cidade, durante o período de 2013 a 2018. As frentes de investigações estiveram em endereços em Belém e cidades do interior.

Policiais Civis da Decor se deslocaram aos estados de São Paulo e Maranhão, onde contaram com o apoio e participação das Polícias Civis, por meio da Divisão de Investigações e Combate a Corrupção de São Paulo, e da Superintendência de Combate a Corrupção do Maranhão.


Segundo a Polícia Civil, o programa Asfalto na Cidade tinha o objetivo de melhorar a malha viária dos municípios paraenses e, somente em 2018, custou mais de R$ 360 milhões aos cofres públicos.

Os indícios probatórios coletados ao longo da investigação demonstram favorecimento a um “consórcio” de empreiteiras com envolvimento direto de agentes públicos. São apurados crimes de fraude à licitação, peculato, associação criminosa, corrupção ativa e passiva.

Em Santa Maria do Pará, um homem foi preso em flagrante, pelo crime de posse ilegal de arma de fogo. O preso era proprietário de uma empresa terceirizada, que funcionava como uma das empreiteiras envolvida no esquema investigado. Na ação, também foram apreendidos documentos, aparelhos celulares, computadores, armas de fogo, joias, além de um valor em moedas estrangeiras (dólares, euros, libras e dirhams).

O delegado-Geral, Walter Resende, supervisiona a operação e afirma que todo o material apreendido será periciado e analisado, com o objetivo de obter mais elementos comprobatórios dos delitos praticados.

veja também