Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Polícia prende acusado de aplicar golpes em familiares de pacientes de hospitais em Marabá

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Civil prendeu, nesta quarta-feira, 20, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, Marcus Vinicius Medeiros Monteiro, acusado dos crimes de estelionato e tráfico de influência na cidade de Marabá, sudeste do Estado. Segundo a delegada Simone Felinto, titular da Seccional de Marabá, o preso é apontado como responsável em arquitetar golpes contra familiares de pacientes hospitalares em estado grave internados na região com a promessa de conseguir leitos e cirurgias no Hospital Regional de Marabá. De acordo com a delegada, o acusado Marcus Monteiro entrava em contato por telefone com os familiares dos pacientes e fingia ser um dos médicos do hospital.

Na ligação, o golpista dizia que já havia um leito ou cirurgia de emergência disponíveis ao paciente na Unidade de Saúde, mas que, para fazer a transferência de forma mais rápida, era preciso efetuar um pagamento, por meio de depósito em conta bancária, de uma determinada quantia. A delegada explica que a investigação vem sendo realizada há cerca da 6 meses. “Durante as investigações, foram constatados indícios suficientes de autoria dos delitos. Logo em seguida, foram requisitadas as medidas judiciais necessárias”, relata a policial civil.


Além da ordem judicial de prisão preventiva, foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência de Marcus Monteiro. Na casa, explica a policial civil, os agentes encontraram alguns objetos e diversos documentos relacionados ao crime. As ordens judiciais foram expedidas pela juíza Renata Guerreiro, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca do município de Marabá. O acusado foi apresentado na 21ª Seccional de Marabá, onde prestou depoimento.

Segundo a delegada, Marcus Monteiro negou qualquer participação no crime. As investigações irão continuar para apurar o envolvimento de outras pessoas no esquema criminoso. Ela ressalta que as investigações têm prazo de até 10 dias para ser concluída. “Os resultados serão relatados e encaminhados à Justiça”, detalha. Marcus Monteiro está recolhido à disposição da Justiça.

Publicidade

Veja
Também