Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Policial civil de Parauapebas participa de treinamento tático em condições reais de guerra em Israel

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Sua paixão é o combate à criminalidade, cuja missão tem dedicado 16 anos de sua vida, com seu jeito sutil e cara de poucos amigos, mas, com um coração aberto para atender os que defendem a ordem ou são vítimas da criminalidade.

Ele é Odorico de Almeida Neto, o popular “Rambo”, policial civil de Parauapebas que esteve recentemente por 10 dias em Israel, um país que respira a guerra 24 horas por dia, sendo o berço do treinamento tático, em cujo território, participou de treinamento tático.


Em entrevista exclusiva ao Portal Pebinha de Açúcar, Rambo contou detalhes de sua ida e do treinamento que se deu pela empresa espanhola G.O.A Tactical Industries, que possui parceria com a Clear Zone, empresa israelense de Treinamento Tático Militar, ministrado pela Unidade 504 do Mossad – Serviço Secreto Israelense. “Um treinamento fantástico voltado para a inteligência e contra-inteligência militar antiterrorista, oferecendo o que há de mais moderno em treinamento tático, adquirido na experiência prática por viverem na guerra”, detalhou Rambo, contanto que esteve na zona de conflito na fronteira de Gaza, Egito, Síria e Palestina, onde viveu o ar da guerra.

O treinamento, de acordo com Rambo, não foi custeado pelo governo de quem ele diz não esperar reconhecimento, tendo se preparado há dois anos para este momento enquanto contava com o apoio da família. As barreiras enfrentadas, além da financeira foram a linguística, mas, com foco e força de vontade tudo foi possível ao longo de 10 dias; planejando que, além do conhecimento adquirido como policial e instrutor, pretende multiplicar o conhecimento compartilhando com seus amigos de polícia e aqueles que queiram aprender técnicas de tiro israelense.

 

Outro ponto importante no treinamento, contado por Rambo, é entender a geopolítica de Israel e os motivos que os leva a viver em guerra internas e cercados de inimigos que, 24 horas por dia, tentam destruir aquele país. “Em um único dia em que estávamos em uma missão, o Irã lançou 20 mísseis contra Israel, que prontamente interceptou usando o sistema Irom Dome, que é o escudo antimíssil”, contou Rambo, elogiando o povo daquele lugar como nacionalista que tanto ama seu país e luta por ele através do exército cujo alistamento é obrigatório para homens e mulheres com 18 anos de idade.

O sistema de segurança em Tel Aviv, conforme contou Rambo, é extremamente rigoroso, não permitindo a entrada de homens bomba. “Eles tem como prioridade a guerra defensiva, por isso investem maciçamente em armas e táticas”, relata o policial de Parauapebas.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também