Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Polícias Civil e Militar prendem cinco e evitam crime em banco

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Policiais civis e militares evitaram o arrombamento de um banco no município de Jacundá, no sudeste paraense, prendendo cinco pessoas, na segunda-feira (26). Com os presos foi apreendido farto material usado em arrombamento de cofres e um aparelho eletrônico usado como bloqueador de sinais de telecomunicação.

Os acusados foram transferidos para o município de Tucuruí, onde houve a autuação em flagrante nesta terça-feira (27), por associação criminosa. Eles irão responder também por crime de corrupção ativa, por terem oferecido dinheiro aos policiais militares para não serem presos.


As prisões foram efetuadas pela guarnição da Polícia Militar comandada pelo tenente Thiago Santos Cruz, da 18ª Companhia Independente da PM de Jacundá. Segundo o delegado Sandro Rivelino, titular da Superintendência Regional do Lago de Tucuruí, na noite de segunda-feira a guarnição militar abordou um carro durante o policiamento ostensivo no perímetro urbano da Rodovia PA-150, em Jacundá. Dentro do carro, modelo Citröen C4 Pallas, placa NPQ 1510, de Marabá, município da mesma região, os policiais militares apreenderam, durante a revista, o material para arrombamento de cofres. Foi quando, informou o delegado, os ocupantes tentaram subornar a guarnição para não serem conduzidos à Delegacia.

Confissão – Após receberem voz de prisão, eles acabaram confessando que utilizariam o material para arrombar a agência do Bradesco em Jacundá. Após as prisões, outros integrantes da associação criminosa foram identificados e presos. Dentre os cinco acusados, Rosangela Barros da Silva, Vítor Hugo Santana Mateus, Felipe Lucas Batista e Cleberson César de Arruda são oriundos do Estado de Mato Grosso.

Rosangela, que é esposa de um presidiário especialista em assaltos a banco e uma das líderes do bando, tem mandado de prisão preventiva decretado pela Comarca de Poconé, no Mato Grosso. Ao ser presa, ela portava documento falso em nome de Talita Santos Farias. Por isso, Rosangela também foi autuada em flagrante por uso de documento falso.

O outro preso é Fernando Soares Lacerda, paraense e morador da cidade de Jacundá, onde dava suporte para os demais membros da quadrilha. Eles foram apresentados na Seccional de Tucuruí, para lavratura do auto de prisão em flagrante delito pela prática de associação criminosa e corrupção ativa.

 

 

Publicidade

Veja
Também