População de Parauapebas já começou a ser beneficiada com os serviços da UsiPaz

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“Eu vim olhar, achei bonito, vim conhecer o espaço; achei muito bom. Acredito que vai mudar a vida dos moradores aqui do bairro. A gente estava precisando bastante mesmo”, conta a aposentada Raimunda Reis, que reservou a manhã desta quinta-feira (19) para visitar os espaços da Usina Paz Parauapebas, no sudeste do estado, entregue no último dia 18 pelo governador Helder Barbalho.

No primeiro dia de atuação, no Bairro Jardim Tropical I, a UsiPaz ofertou atendimento médico e matrículas em modalidades esportivas. O gerente-geral do espaço, Cláudio Cruz, explicou como irá funcionar a logística nos primeiros dias:


“Nós iniciamos com as atividades esportivas pra não ter aglomeração. Estamos criando um grupo de WhatsApp com a comunidade pra explicar as questões dos cursos. De uma forma geral a gente tem trabalhado articulação em comunidade, nos centros comunitários e até igrejas divulgando, mas as pessoas passam a conhecer à medida em que elas começam a participar. Eu acredito que até agora, próximo de 200 pessoas já se inscreveram”.

Ontem também ocorreu a apresentação teatral do grupo lúdico da Fundação Cultural do Pará (FCP), na biblioteca infantil da UsiPaz, com a reprodução da obra de Monteiro Lobato, “O Sítio do Pica Pau Amarelo”. Ainda na quinta-feira, no turno da tarde, será iniciada a primeira oficina do complexo, “Ecobijuteria a partir do reaproveitamento do papel”.

O sentimento de quem mora no bairro e adjacências é de uma nova perspectiva de vida, como para Antônia Mendes. “Vim procurar cursos. Bastante interessante o curso de informática e também o de natação pra minha filha porque ela não sabe nadar. Vai dar uma perspectiva de vida muito boa pra todos, tanto nos cursos e até como uma área de lazer, porque a gente acaba ficando entediado, todo dia a gente trabalha e não tem muita vontade de sair e aqui é perto pra vir e é de graça. É uma coisa que a gente achou interessante, não tenho nem palavras pra descrever a felicidade que a gente está”.

Usinas da Paz

Esta é a quinta unidade da Usina da Paz em pleno funcionamento no estado. A população já pode contar com as UsiPaz da Região Metropolitana, Icuí-Guajará, em Ananindeua, Cabanagem, em Belém, Bengui, também na capital do Estado, e Nova União, em Marituba, as quais, juntas, já realizaram mais de 200 mil atendimentos, com o principal objetivo de fortalecer os laços comunitários e contribuir para o resgate da cidadania e da redução da violência por meio da transformação social.

Construído em um terreno de 10.250 m2, o espaço multifuncional começa a oferecer em Parauapebas mais de 60 serviços gratuitos, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, cursos, capacitação técnica e profissionalizante; além de eventos e encontros da comunidade. As inscrições para cursos e atividades esportivas serão feitas gradualmente e divulgadas nas redes sociais da Usina da Paz. Para realizar a inscrição, o morador precisa ir presencialmente à recepção da UsiPaz, com original e cópia dos documentos como RG, CPF e comprovante de residência.

A Usina da Paz em Parauapebas encantou até quem veio de fora, como é o caso da Ane Franco, que morava em Brasília e está há 4 meses morando na cidade. “Eu achei um projeto maravilhoso, porque a gente está acostumado com as grandes cidades e quando sai de uma capital e vem para o interior, vê uma carência de um projeto que nos inclua e às vezes as pessoas deixam de aproveitar a oportunidade por falta de conhecimento”.

A design de moda lembra que durante a pandemia foi difícil a rotina com o filho e acredita que um espaço como a UsiPaz irá devolver o lazer. “Nossas crianças hoje em dia estão muito ociosas. Passaram dois anos de pandemia em casa, agora voltam pra escola, só que eles precisam ter outras coisas pra fazer, tirar a pressão da escola. Foram dois anos assim, muito aprisionados e eu vi aqui uma oportunidade muito boa. Eu pretendo matricular ele no futebol pra dar movimentada”.

E os planos da recente moradora do sudeste do Pará, dentro da Usina, são ainda maiores. “Eu vim e me interessei muito em corte costura, já havia tentado o curso em outros lugares, até particular mesmo, e não achei, e é uma coisa que eu preciso, e agora vai ter aqui, vou aproveitar. Eu acho que é uma fonte de renda muito interessante, ontem mesmo visitei a sala de costura e achei muito bonita. E não é só a sala de costura que me interessa é o ambiente inteiro, as aulas de culinária, achei tudo maravilhoso! É uma fonte de renda garantida, porque se hoje eu ganhar algum dinheiro com pouco que sei, quando aprimorar um pouco mais, passo a ganhar melhor também”.

veja também