Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Populares apresentam deficiências e cobram melhorias na saúde de Parauapebas durante audiência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A primeira audiência pública para discutir os problemas referentes à saúde do município aconteceu na tarde da última sexta-feira, 9 de outubro. Estiveram presentes os vereadores Ivaniti Barrão (PSDC), Eliene Soares (PT), Joelma Leite (PT), Charles Borges (SDD), Antônio Massud (PTB), Teca Gonçalves (PV), Euzébio Rodrigues (PT), Marcelo Parceirinho (PMDB) e o presidente da casa, vereador Ivanaldo Braz (SDD).

Integraram a mesa diretiva dos trabalhos a vereadora Eliene Soares, o secretário municipal de Saúde, João Luiz; e o chefe de gabinete do Poder Executivo, Wanterlor Bandeira.


A audiência foi solicitada por meio do Requerimento n° 38/2015, apresentado ao plenário pela vereadora Eliene Soares no dia 8 de setembro. De acordo com a parlamentar, o objetivo da audiência era chegar a um consenso sobre medidas a serem implementadas que realmente consigam modificar as políticas públicas para a saúde.

Abrindo os pronunciamentos, o chefe de planejamento da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Israel Correia, destacou os avanços alcançados na atual gestão e dos projetos a serem implantados no próximo ano. O servidor ainda apresentou a situação da saúde no município com base nos dados angariados pela pasta no decorrer dos últimos anos.

Dando continuidade às explanações, a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Leonice de Oliveira, elencou os problemas que acometem a saúde local e citou documentos que revelam superfaturamento de locação de aluguéis e folhas de pagamento, bem como nepotismo.

A participação da comunidade durante a audiência foi expressiva. As inscrições para manifestação superaram em três vezes o esperado.

O ponto mais questionado pelos participantes foi a gestão da pasta. Segundo a comunidade presente, o mau investimento dos recursos disponíveis continua penalizando a população. A falta de estrutura do hospital e postos de saúde e a escassez de medicamentos e de equipamentos também foram alvos de reclamação.

O mototaxista Waldir Paulo usou o espaço para contar a dificuldade que teve para agendar uma consulta com oftalmologista. “Nunca consegui uma consulta. Se eu não tivesse pagado poderia ter ficado cego, já que não havia médico com esta especialidade no município”, revelou.

Segundo o professor Andrew Silva, que trabalha na comunidade VS10, é grande a dificuldade dos residentes do bairro em conseguir uma consulta nos postos de saúde. “O posto mais próximo fica cerca de 8 km, o que torna inacessível para aqueles que não possuem transporte. Já levei pessoas às pressas para o hospital no meu carro particular. Nesta tarde eu trouxe um abaixo assinado para entregar ao secretário, juntamente com nossas reivindicações”.

A precariedade dos serviços prestados na pasta da saúde foi relatada por diferentes situações. O secretário municipal de Saúde, que assumiu a pasta há menos de um mês, se comprometeu em efetivar as medidas necessárias para o bom andamento dos serviços.

Para a vereadora Eliene Soares, propositora do pedido de audiência pública, não adianta tentar encontrar o culpado da péssima situação em que a saúde se encontra, mas cabe cobrar a efetividade dos serviços, como o de mamografia, por exemplo, que apesar de haver o equipamento no município não está sendo utilizado.

As sugestões e reclamações foram registradas em ata e serão encaminhadas aos setores competentes para que sejam solucionadas.

Ao fim da audiência, um cidadão proferiu palavras que trazem esperança para aqueles que acreditam em uma Parauapebas que proporcione qualidade de vida. “Temos uma saúde doente, mas saúde é a capacidade de se recuperar”.

Reportagem: Josiane Quintino

Publicidade

Veja
Também