Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Portadores de doenças crônicas têm “Dia D” nas unidades de saúde de Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Pacientes portadores de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, asma, bronquite, hipertensão arterial e outras contam com atendimento prioritário todas as quintas-feiras nas unidades básicas de saúde de Parauapebas.

Com o Programa Saúde da Família, foi instituído o chamado “Dia D” para pacientes já cadastrados no programa. Eles são atendidos ao longo do dia e realizam vários procedimentos, como controle da pressão, diabetes e pesagem. Além disso, os pacientes têm também, se necessário, os serviços dos profissionais de odontologia, psicologia, nutricionista e ainda podem se agregar ao Programa Saúde em Casa, cuja equipe vai até a casa do paciente que por algum motivo se encontra impossibilitado de ir até a unidade básica.


Dona Eletéria Costa, de 67 anos de idade, é atendida pelo programa há mais de cinco anos e conta que está satisfeita. “Desde 2016 eu sou atendida aqui. Eu gosto muito desse atendimento, sou muito bem recebida na marcação de consulta. Com o médico, eu tomo medicação quando é necessário e sempre meu ponto de consulta é aqui”, diz a aposentada.

De acordo com Gilberto Laranjeiras, secretário de Saúde de Parauapebas, as consultas são reagendadas a cada 30 dias e a cada seis meses são refeitos todos os exames laboratoriais, dando assim continuidade ao tratamento, regularmente acompanhado pelo clínico geral e enfermeiros, para que a doença não se agrave.

“Só lembrando que nós tratamos a doença em si. Agora, a gente tem que trabalhar a parte preventiva. Sabemos que existem vários fatores que contribuem para que o paciente tenha a doença, principalmente a diabete e a pressão alta, e os fatores são diversos, desde hereditários até a alimentação. Então, a principal orientação que passamos para os pacientes é cuidar da alimentação e praticar atividades físicas”, diz o clínico geral Junio Marques.

Publicidade

Veja
Também