Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

PORTO DE MOZ: Promotoria faz esforço concentrado para apurar causas do naufrágio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Durante os dias 26 e 27 de agosto, a Promotoria de Justiça de Porto de Moz manteve concentração de trabalhos para acelerar a apuração das causas do naufrágio que vitimou fatalmente 23 pessoas, na última terça-feira (22), na localidade de Ponta Grande do Xingu, município de Porto de Moz.

“Foi solicitada disponibilização das dependências do Fórum da Comarca para que os trabalhos não fossem interrompidos nesse final de semana, o que foi de pronto deferido pela juíza de Direito Ângela Graziela Zottis”, disse a promotora de Justiça de Porto de Moz, Juliana Nunes Félix.


Neste domingo, o tenente Fabiano e sua equipe, responsáveis pela instrução do inquérito administrativo de competência da Marinha, realizaram nove oitivas de vítimas do naufrágio, todas acompanhadas pela equipe do Ministério Público do Estado.

Foram emitidos 12 ofícios, dentre requisições de informações e requerimentos de providências. Quatro pessoas foram notificadas a prestarem declaração junto a Promotoria de Justiça de Porto de Moz.

Por solicitação da Promotoria, todas as oitivas realizadas pela Marinha serão compartilhadas com o Ministério Público.

 

A ação concentrada perdurou até as 21h deste domingo (27), com a participação do tenente Fabiano (Marinha do Brasil) , sargento Oliveira (Marinha do Brasil), Juliana Nunes Felix (PJ de Porto de Moz), Deise Glaucy Souza Rebelo (assessora de Promotoria de 1° Entrância) e Karina Coutinho da Fonseca (auxiliar administrativo).

“A Promotoria de Justiça de Porto de Moz continuará a empreender esforços para apurar as causas e responsabilidades do naufrágio da embarcação Capitão Ribeiro”, frisou Juliana Félix.

PORTO DE MOZ: MPPA APURA RESPONSABILIDADE EM NAUFRÁGIO

 

Publicidade

Veja
Também