“Pra me calarem, vão ter que mandar matar”, afirmou o vereador eleito Aurélio Goiano após diplomação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Seu histórico é polêmico, se tornando conhecido como um homem que não tem papas na língua pelas críticas que fazia nos programas de rádio e TV, principalmente quando dava uma notícia de cunho político.

Ainda jovem, Aurélio Goiano entrou na política tendo sido eleito, aos 18 anos de idade, para vereador no município de Água Fria, no Estado de Goiás, uma cidade pequena nas proximidades do Distrito Federal. Na época, no ano de 2004, ele foi o candidato mais jovem e com mais expressão de votos eleito naquele município, tendo exercido o mandato de 2005 a 2008.


Aurélio veio para Parauapebas onde continuou no ramo de comunicação, fazendo apenas locução em carro de som e rodeios. Mas, por convite, resolveu ir para o rádio fazendo programas sertanejos, um mundo que ele já tinha intimidade, pois, já era narrador de rodeios.

Depois, também a convite, se aventurou diante das câmeras fazendo programas de TV, onde criou sua marca de apresentador bruto e crítico que não se calava e nem arredava para nenhum “poderoso”. Este ano ano, 2020, Aurélio Goiano deixou os veículos de comunicação para disputar nas eleições municipais o cargo de vereador. Muitos não acreditavam em sua eleição já que, mesmo em campanha, continuava se envolvendo em polêmicas e aumentando sua coleção de inimigos.

Mas, o “Canela Seca” ou o “Boca de Burro”, apelidos que ele mesmo se deu, surpreendeu a muitos, sendo o único vereador das coligações de oposição ao atual prefeito a se eleger e com uma votação boa, 1.508 votos, o que o deixou em 14º lugar entre os 15 vereadores eleitos.

Ontem, quarta-feira (16), Aurélio Goiano recebeu seu diploma de vereador, ficando apto a ser empossado no cargo no próximo dia 1º de janeiro. Após ser diplomado, em frente ao Fórum Eleitoral, fez um desabafo, gravado em um vídeo, quando agradeceu os votos recebidos e disse: “pra me calarem, vão ter que mandar matar”.

Nossa equipe de reportagens tentou contato com Aurélio Goiano para que ele pudesse, em entrevista, ser mais claro à respeito de sua postura durante seu mandato, se continuará sendo linha dura na oposição, ou se será flexível em nome das boas relações políticas, porém, até o fechamento da matéria, ele não deu retorno.

Publicidade

veja também