Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Praça Mahatma Gandhi recebe Grito Cultural da Juventude

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

 

As atrações da noite constaram de apresentação da dupla Erom e Alex PJ, grupo parafolclórico Retumbá, Escola Abadá Capoeira, Grupo Hip Hop, Fanfarra Municipal, com instrumentos de sopro; Grupo Terra Viva, Grupo de Expressão Folclórica Kuarup e bateria Cavaleiros de São Jorge, da Escola de Samba Mocidade Independente do Primavera.


Mostrando-se bastante encantado com as apresentações dos grupos, o secretário Wady Sobrinho, que não arredou o pé um só instante do local do espetáculo, declarou à reportagem que eventos como o Grito Cultural devem ser sempre apoiados pelo poder público, pois levam à comunidade entretenimentos poucos vistos pela população.

Por sua vez, o titular da Coordenadoria Municipal da Juventude, Mário Henrique Pereira, assegura que a CMJ tem muitos projetos para serem implantados nos bairros da cidade, garantindo que o Grito Cultural foi só uma das etapas que virão no decorrer do ano. O coordenador adjunto da Coordenadoria, Alessandro Santos Lima, ressalta que o grito atraiu um público em torno de 400 pessoas na Praça Mahatma Gandhi.

Ernando Muniz Cardoso, o popular “Sibita”, professor de capoeira, destacou que um “evento magnífico como este” deve se expandir cada vez mais à juventude de Parauapebas, “pois leva entretenimento físico, mental e educacional para todos”.

O bailarino Clodoaldo Souza, integrante do Grupo Kuarup, defendeu que evento com intercâmbio cultural é sempre bom para a sociedade e para os grupos que se apresentam à comunidade.

Segundo os coordenadores da CMJ, o programa Grito Cultural tem como objetivo promover a realização de um dia de atividades educacionais e culturais, em bairros da cidade, com a participação dos segmentos juvenis.

O programa visa ainda aproximar os movimentos comunitários para apresentarem suas atividades culturais ao público, em área de livre acesso; apresentar e inserir segmentos religiosos nesta nova dimensão cultural; promover a integração dos segmentos juvenis e culturais, estimulando atividades que venham promover ações inclusivas e sociais atribuídas a diversificações culturais; realizar ação educativa de combate ao uso de drogas; trabalhar a campanha nacional contra a violência e extermínio de jovens; realizar apresentações culturais com expressões juvenis; e promover apresentação musical profissional e amadores.

Publicidade

Veja
Também