Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Pré-matrículas da Rede Estadual de Ensino iniciam dia 19 e alunos têm prazo limitado

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

“É preciso que o aluno faça sua pré-matrícula na escola em que ele pretende estudar, pois depois para fazer uma alteração fica bem complicado, pois isso requer uma transferência”, alerta a diretora da Escola Estadual Sede em Parauapebas, Ana Maria.

De acordo com o cronograma de matrículas o prazo para as pré-matrículas dos novos alunos e de pessoas com deficiência, será de apenas 27 dias, iniciando no dia 19 deste mês, janeiro, e encerra no dia 14 de fevereiro. Posterior a isso, de 15 a 17 de fevereiro, os pré-matriculados devem confirmar, com a apresentação dos documentos necessários (Histórico Escolar, Comprovante de Residência e Certidão de Nascimento), suas matrículas. O processo de pré-matrículas deve ser feito pelo www.seduc.pa.gov.br e só a confirmação deverá ser presencial.


A confirmação das matrículas segue o seguinte cronograma:

No dia 15 de fevereiro: para alunos novos, com deficiência;

Dia 16 de fevereiro: demais alunos novos e alunos com deficiência: 1º ao 9º Ano do Ensino Fundamental; 1ª a 4ª Etapa da EJA Fundamental;

Dia 17 de fevereiro: Demais alunos novos e alunos novos com deficiência: Ensino Médio Regular (1º ao 3º Ano); 1ª e 2ª Etapas da EJA Médio.

Passado este prazo as pré-matrículas serão invalidadas. Mas Ana Maria alerta que o aluno deva escolher com opção uma escola mais próxima de sua casa.

Novo ano letivo

O ano levito de 2015 ainda não foi encerrado, por causa das greves que se estenderam ano passado, o que significa que os professores não terão mais que 15 dias de recesso e já retornarão para o ano letivo de 2016.

O mesmo acontecerá com o processo de matrículas que também terá tempo limitado devendo, segundo Ana Maria, os alunos ficarem atentos para não perderem os prazos nem errar a localização das escolas onde pretendem estudar.

Situação física das escolas

Ao todo Parauapebas tem 15 escolas estaduais e 2 anexos ligados ao Eduardo Angelim. Os anexos são todos na zona rural, sendo um na Vila Paulo Fonteles e outro no CEDERE I, número suficiente, de acordo com o afirmado pela diretora da escola sede, Ana Maria, para abrigar todos os alunos que pretendam cursar ensino médio em Parauapebas.

Faruk Salmem, no bairro Rio Verde, e Janela Para o Mundo, no Cidade Jardim, que juntas gerarão pelo menos mais 400 vagas, são de acordo com Ana Maria, reforço para a acomodação destes alunos. Outro reforço vem da escola Cecília Meireles que passará a ter turmas do Ensino Médio a tarde e isso aumentará consideravelmente o número de vagas.

Corpo Docente

Mas o número de professores que sempre foi alvo de muitas reclamações está, de acordo com Ana Maria, resolvido com as contratações de vários profissionais. “Nosso maior problema era, principalmente, nas matérias de exatas. Mas isso já foi resolvido e neste ano levito os alunos serão bem assistidos por todas as disciplinas”, afirma a diretora.

Para os professores que já estão na Rede Estadual de ensino ficará bem corrido pois o ano letivo de 2015 só se encerra em 18 de fevereiro e em apenas 15 dias depois, em 7 de março, dará início ao ano letivo de 2016. A diferença deverá ser tirada, segundo a diretora da escola sede, Ana Maria, em 20 dias de janeiro de 2017, quando encerrará o ano letivo de 2016. “Isso, é claro, caso não haja greves este ano. Aí o 20174 será todo dentro do período regular”, conclui a diretora.

População Estudantil

Mais de 4 mil novos alunos migrarão da Rede Municipal para a Rede Estadual de Ensino. Afirmações de Ana Maria, diretora da escola sede do Estado. Ela detalha que os mesmos são advindos do 9º ano e do EJA (Educação Para Jovens e Adultos).

Mas além de entrar de um lado cerca de 4 mil alunos, do outro não estão saindo o mesmo número de concluintes, saem apenas 2.500 alunos. A inexatidão desta conta é explicada por Ana Maria admitindo que no 1º Ano do Ensino Médio o número de reprovações é grande. O motivo, ainda segundo ela, é que os alunos quando chegam neste momento escolar relaxam com os estudos e terminam por só despertarem no ano de repetência. “Temos nos reunido com Conselho de Classe e até com o aluno individualmente para tentar desfibrila-lo e assim evitar o problema, mas muitos não acordam em tempo”, conta ela.

Reportagem: Francesco Costa – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

Veja
Também