Presidente da Câmara de Parauapebas reconhece que vereadores não têm cumprido seu papel

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Após recesso durante o mês de julho, treze dos 15 vereadores que compõem o parlamento de Parauapebas retornaram ao trabalho nesta quarta-feira (1º), quando em sessão solene usaram a tribuna e falaram das expectativas para o segundo período legislativo do ano.

O retorno dos trabalhos coincide com o início das articulações para a sucessão do atual presidente, Elias Ferreira (PSB), que tem apenas cinco meses para concluir seu mandato. “Neste ano e meio aconteceram algumas coisas que me alegraram e outras que me decepcionaram”, reconheceu o presidente, mensurando que a Câmara Municipal teve boa atuação em algumas áreas, porém deixou muito a desejar em outras.


Em transparência, Elias dá nota 10, já que esta foi a primeira Câmara do Pará que recebeu o Selo Verde do Tribunal de Contas dos Municípios, atestando sua transparência em 2017. Em apresentações de matérias (indicações, projetos e requerimentos), ele dá nota 7 e revela que em 2017 foram apresentadas 319 indicações e mais de 230 nos primeiros seis meses deste ano.

“O terceiro item, trabalho mais importante do vereador, que é fiscalizar, dou nota de zero a dois, pois este parlamento não fez seu dever de casa”, reconhece Elias, comprometendo-se a se esforçar para melhorar esta nota neste segundo semestre.

De acordo com Elias Ferreira, ele diz que não ficaram pendências a serem votadas. E reconhece que no início do mandato foi assustador gerir a coisa pública, mas já se diz acostumado com a realidade tão diferente do mundo privado. Assim como procura fazer no mundo privado, ele diz que trabalhou para que na Câmara de Parauapebas se mantivesse a qualidade com economia tendo, inclusive, conseguido devolver recursos aos cofres do Poder Executivo. “Conseguimos economizar mais de R$ 1 milhão por mês em relação às administrações passadas”, comemora.

 

Sucessão – Apenas 13 dos 15 vereadores podem concorrer ao cargo de presidente, já que o atual presidente e o suplente de vereador Rafael Ribeiro não podem disputar a cadeira principal na mesa diretora. Os possíveis sucessores de Elias se apresentam sem timidez e dizem já estar articulando para compor a mesa diretora como presidente.

Um deles é o vereador Ivanaldo Braz (PSDB), que, em seu segundo mandato, já conta com a experiência de ter sido presidente daquela Casa de Leis. “Estou esperando passar o período eleitoral para poder tomar uma decisão, com o objetivo de querer o melhor para nossos representados”, simplifica.

Outro possível pré-candidato ao cargo é o vereador Zacarias de Assunção Vieira Marques (PSDB). Ele sugere que praticamente todos os vereadores almejam a presidência. Porém, diz tratar-se de uma articulação silenciosa, já que envolve poucos eleitores. “Mas acima de tudo está o mandato de vereador que nos foi confiado e o foco é fazer o papel de parlamentar e representante do povo”, afirma Zacarias Marques.

José Francisco Amaral Pavão, também do PSDB, é outro que assume candidatura, além de Marcelo Parcerinho (PSC) e Luís Castilho (Pros), mas eles não quiseram falar sobre o assunto.

Reportagem: Francesco Costa | Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Publicidade

veja também