Confirmados
27.650
Recuperados
18.995
Óbitos
190

 Publicidade

Procura por registro de novos empreendimentos tem alta em Parauapebas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A criatividade dos brasileiros tem aumentado quando o assunto é montar o seu próprio negócio. Em Parauapebas, o número de registro para aberturas de novos empreendimentos teve um aumento desde o início da crise registrada no país.

Raimundo Nonato de Oliveira, que é o gerente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), explica que em Parauapebas se percebe o crescimento pela procura de pessoas interessadas em abrir seu próprio negócio desde o começo que a crise do desemprego assolou a nação.
“Muita pessoas, por não conseguir uma colocação de emprego, buscam no campo do negócio próprio uma alternativa para ganhar seu sustento. Então, semanalmente percebemos o crescimento na procura, principalmente para ser empreendedores individuais”, diz o gerente do SEBRAE


A abertura de micro-empresas contribui para movimentar a economia e traz diversos benefícios para a sociedade, porém, o questionamento para saber qual a melhor opção para quem está começando se faz presente.
Para a abertura do negócio é necessário que o empreendedor tenha idade mínima de 18 anos e que tenha em mãos o planejamento comercial, afinal é é o que vai garantir que a empresa tenha sucesso no ramo comercial.

Uma pesquisa feita pela nossa equipe de reportagens nas ruas de Parauapebas deixou claro que 2018 está sendo o ano do empreendedorismo. A economia do país voltou a crescer, não como o esperado, mas de forma consistente, o que anima os empreendedores e os empresários do município, já que Parauapebas também tem projetos que visam a alternativa econômica que não seja só dependente da mineração.

Dona Maria das Graças começou no ramo do empreendedorismo com a personalização de sandálias, mas com a queda nas vendas, decidiu colocar em prática outra forma para manter sua renda mensal, e procurou o SEBRAE para conhecer a realidade do comércio para adaptar a sua empresa.
“Depois das palestras percebi que poderia continuar no mesmo ramo, mas focar em abastecer novas empresas que estão começando a trabalhar com a personalização de sandálias, hoje eu forneço cabrestos personalizados para os chinelos”, disse, toda animada, a empreendedora.

Publicidade

Veja
Também